Hóquei em Patins - Campeonato Nacional da II Divisão - Zona Norte - 4.ª Jornada
O que era para ser uma goleada deu em desastre
08-11-2018
Estatísticas

159 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Sanjoanense, 4
Póvoa, 4
 
Pavilhão dos Desportos, em São João da Madeira
Árbitros: Paulo Almeida (AP Aveiro) e Júlio Teixeira (AP Minho)
 
Sanjoanense: Tiago Rodrigues, Tiago Almeida, Pedro Cerqueira, Afonso Santos e José Almeida
Suplentes: Marco Lopes (C), João Cruz, Pedro Rego, Alex Barreira e Alex Mount
Treinador: Miguel Resende
 
Póvoa: Aaron, Viti, Rúben Fangueiro (C), Cristiano Fangueiro e Tiago Rocha
Suplentes: Daniel Pontes, Rui Brito, João Fernando, Henrique Campos e Joaquim Dias
Treinador: Roger Sousa
 
Golos: Pedro Cerqueira (3’), Alex Mount (14’ e 17’), Henrique Campos (23’ e 27’), Viti (43’), Cristiano Fangueiro (45’) e José Almeida (47’)
 
Ação Disciplinar: Azuis: Pedro Cerqueira (24’)
 
Quem viu a Sanjoanense a ganhar - e a jogar bem - por 3-0 aos 17’ pensou que os alvinegros tinham a vitória na mala e que o triunfo seria uma questão de números. Pensou bem, até, não fosse estar, frente a frente, um candidato à subida de divisão frente a uma formação que tem como objetivo um lugar tranquilo na tabela.
Acontece que, depois de chegar aos 3-0, a Sanjoanense eclipsou-se e só voltou a aparecer nos últimos três minutos, quando se viu a perder. Mas, vamos por partes.
Depois do empate em Valença na jornada anterior, a Sanjoanense tinha como objetivo regressar às vitórias para não se afastar ainda mais dos lugares cimeiros e essa intenção pareceu confirmar-se quando, aos três minutos, Pedro Cerqueira, com um remate forte, colocou os da casa a vencer. A história do jogo continua a partir do momento em que Alex Mount - que está a rubricar um excelente início de temporada - entrou na partida para, com arte e classe, fazer dois golos e mexer, positivamente, com o jogo da equipa. Só que, lá está, quem estava a vencer 3-0 pensou que a vida estava resolvida e, no hóquei em patins, uma vantagem de 3-0 pouco significa.
Aproveitou o Póvoa para, paulatinamente, começar a crescer e a crescer tanto que Henrique Campos reduziu (23’) e só não colocou o marcador na margem mínima, antes do intervalo, pois o poveiro falhou um livre-direto decorrente de um azul visto por Pedro Cerqueira.
O Póvoa entrou na segunda parte ainda a jogar em powerplay e aproveitou a superioridade numérica para marcar, novamente por Henrique Campos. Apesar de o placar já assinalar 3-2, a Sanjoanense não esboçou grande reação e continuou a ser o Póvoa a equipa mais esclarecida em campo. Viti (43’) e Cristiano Fangueiro (45’) consumaram a reviravolta e fizeram lembrar a forma como os alvinegros perderam o título de campeão na época anterior, quando um filme semelhante se verificou na última jornada, perante o FC Porto B.
Assustada, o sinal de alarme lá tocou na Sanjoanense. A equipa cerrou fileiras, empatou por José Almeida e asfixiou o Póvoa, tendo ficado perto de conseguir a glória nos últimos segundos. No entanto, o castigo do empate acaba por ser justo pela apatia demonstrada em metade do encontro.
Nota, ainda, para mais uma arbitragem infeliz com prejuízo para os locais, que bem se podem queixar de, pelo menos, duas grandes penalidades e dois cartões azuis por mostrar, um deles gritante a 17 segundos do fim, que o juiz Júlio Teixeira não marcou, causando um enorme desagrado no Pavilhão dos Desportos.
Com dois empates, uma derrota e apenas uma vitória em quatro jogos, a Sanjoanense tem que, já no próximo sábado, em Paços de Ferreira (18h30), voltar às vitórias, se quiser continuar a acreditar na luta pela subida. A prova ainda está no início, mas é proibido continuar a perder pontos.
 
Autocarro para Paços de Ferreira
A Força Negra coloca à disposição dos sanjoanenses um autocarro para Paços de Ferreira. O jogo é às 18h30 e o autocarro sai às 16h45 do Pavilhão. A viagem tem um custo de 5€ (4€ se o autocarro for cheio) e as inscrições fazem-se para o 916398938.
 

Comentar

Anónimo