Na madrugada de Domingo
Leslie deixa rasto na cidade
18-10-2018 | por António Gomes Costa
A passagem do furacão Leslie por S. João da Madeira, que chegou como tempestade pós-tropical, não causou estragos de maior na cidade. Queda de árvores e ramos, inundações, infiltrações e dano em duas viaturas são os sinais de uma tempestade que deixou fortes marcas nos país.
Estatísticas

290 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

O distrito de Aveiro esteve em aviso vermelho, o mais alto da escala, juntamente com grande parte dos distritos do país, em especial do norte e centro, devido à passagem da tempestade Leslie.
Durante a noite e madrugada do passado domingo, dia 14, o vento forte e a chuva provocaram algumas situações como queda de árvores e de ramos, registando-se “apenas danos materiais, nomeadamente em duas viaturas”. Entre as ocorrências, conta-se também a “projeção de objetos para as vias de circulação devido à força do vento, assim como algumas inundações e infiltrações de água”, assegura fonte do município.
Devido às obras em curso de substituição das coberturas em fibrocimento da Escola Básica com Jardim-de-infância de Fundo de Vila, este estabelecimento foi particularmente afetado com infiltrações de água, que exigiram uma “reorganização do espaço escolar” para permitir a continuidade das aulas em condições de segurança, ao mesmo tempo que se procedem às necessárias reparações.
“Toda a situação foi acompanhada em permanência pelas entidades do serviço municipal de Proteção Civil, designadamente os Bombeiros Voluntários, a PSP e a Câmara Municipal, tendo o próprio presidente da autarquia estado presente no posto de comando do quartel operacional das Travessas” na noite de sábado para domingo.
“Felizmente a nossa cidade não foi afetada de forma significativa pelo temporal, comparativamente a muitos outros pontos do pais, como tive a oportunidade de constatar no posto de comando do Quartel-Operacional das Travessas, onde acompanhei o evoluir da situação e verifiquei, mais uma vez, a grande capacidade de resposta e inexcedível dedicação dos nossos bombeiros, assim como da PSP, que acorreram a todas as ocorrências com assinalável prontidão e eficácia. Quero também reconhecer o importante trabalho dos serviços da Câmara envolvidos ao longo do dia de domingo nos trabalhos de remoção de árvores e resolução de outras situações decorrentes do temporal da noite anterior”, deu conta Jorge Vultos Sequeira, Presidente da Camara de S. João da Madeira.
Após a passagem da tempestade, os serviços da Câmara de S. João da Madeira começaram de imediato a intervir nos pontos da cidade mais afetados pelo temporal.  
Logo pela manhã de domingo, “a técnica camarária da proteção civil fez uma avaliação ao estado geral da cidade e foram estabelecidas prioridades de intervenção”. Na sequência dessa análise, “os serviços municipais de proteção civil” deslocaram-se aos locais identificados “para resolver as situações mais urgentes”, assegura ainda o município.
Este trabalho tem prosseguido desde então, com o envolvimento de todas as entidades da Proteção Civil Municipal, assim como da própria empresa concessionária da limpeza urbana da cidade.
Segundo nota dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira, os alertas para as ocorrências começaram cerca das 23h57 e terminaram perto da 01h43. A Rua Antonio Sérgio, Rua Afonso Albuquerque, Rua da Mourisca, Rua dos Ribeiros, Avenida 1.º de Maio, Rua das Águas, Rua de São Roque e Rua da Buciqueira foram as mais afetadas pela tempestade.

Comentar

Anónimo