Casa devoluta na Rua Visconde incomoda moradores e comerciantes
“Esta situação é uma vergonha no centro da cidade”
10-10-2018 | por António Gomes Costa
Uma casa abandonada está a incomodar comerciantes e moradores no centro de S. João da Madeira. Além de estar com derrocadas frequentes, o muito lixo tem provocado o aparecimento de ratos que invadem o comércio. Comerciantes e moradores pedem a intervenção do município.

Habitação devoluta na Rua Visconde alvo de críticas
Estatísticas

1586 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

O lixo acumulado de alimentar os gatos, o desmoronamento das paredes e vidros numa casa abandonada e o estado em que a mesma se encontra estão a gerar revolta entre comerciantes e moradores da Rua Visconde, em S. João da Madeira. A juntar a tudo isto, há a concentração de ratos que entram pelas casas comerciais. “Ainda a semana passada os ratos entraram pela minha loja, estava eu a atender uma cliente”, revelou Miguel Brandão, que reconhece tratar-se de uma situação desagradável e que coloca em causa o futuro do seu negócio.
De acordo com este comerciante, é a sua loja que é a mais afetada por estes ‘turistas’, uma vez que é a que está mais próxima da habitação. “Passam o portão e seguem a parede e entram descontrolados por ali dentro” e teme que um dia destes a sua casa esteja infestada “destes roedores e o prejuízo seja ainda maior”.
Mas os alertas de Miguel Brandão não se ficam por aqui. “A casa vai caindo aos poucos, já fizeram estragos em viaturas e, recentemente, uma senhora, por pouco, não levou com uma pedra em cima”, reforça.
Estas situações, ao que apurámos, arrastam-se há vários meses e, segundo este empresário, “a autarquia tem conhecimento destas situações”, pois afirma que “já cá estiveram”.
Por sua vez, Ana Paula Pinto, outra comerciante, confirma a presença dos ratos que circulam pela rua. “Eu já os vi a entrar na loja do Miguel e até o alertei para isso”. A juntar a tudo isto, abordou a situação dos animais que ali são alimentados. “As pessoas atiram a comida lá para dentro e depois o lixo acomodado provoca esta situação”. Esta comerciante aponta ainda o dedo para as condições em que encontra a habitação, em pleno “coração da cidade”, bem como a imagem que dá a quem por ali passa. “É que, além do perigo iminente, o cartão-de-visita é muito negativo”. E revela: “esta situação no centro da cidade é uma vergonha”. Mas as críticas não ficam por aqui. “A PSP e a câmara já vedaram o espaço mais do que uma vez por estarem a cair vidros e pedras das paredes e as pessoas tiram a vedação para estacionarem ali as viaturas”, explica Ana Paula Pinto.
Um morador, à conversa com a nossa reportagem, deu conta de que já solicitou a um vereador para que a autarquia informe o proprietário da habitação para “resolver a situação, já que, além de estar a dar uma imagem negativa a S. João da Madeira, trata-se de uma questão de saúde pública, pois as pessoas vão para lá alimentar os gatos, as embalagens ficam no seu interior e é um acumular de lixo que ali fica”. Um outro habitante alertou ainda para a “falta de civismo” de muitas pessoas que por ali passam com os seus animais. “Circulam sobre a relva, não limpam os dejetos e, se são chamados à atenção, ainda ficam zangados”, assumem.
Sobre este assunto, a Câmara Municipal faz saber que os serviços “autárquicos competentes já notificaram e reuniram com os proprietários para que estes procedam à realização das indispensáveis obras de conservação no edifício em causa”.

Comentar

Anónimo