Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior
Embaixador da China visitou alunos de Mandarim de S. João da Madeira
13-09-2018 | por António Gomes Costa
A poucos dias do arranque de mais um ano letivo, os alunos de Mandarim do Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior de S. João da Madeira receberam a visita do Embaixador da China, de representantes do Ministério da Educação e da Autarquia de S. João da Madeira. Cai Run quer levar o melhor aluno da escola que aprende Mandarim a estudar na China.
Estatísticas

576 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Cai Run, embaixador da República Popular da China em Portugal, foi recebido terça-feira, dia 11, no Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior de S. João da Madeira, pela direção do agrupamento e pelos representantes da autarquia. Reforçar os laços que unem esta escola e este concelho à China, visitar a escola e inteirar-se da aprendizagem do Mandarim na cidade foram os grandes objetivos da deslocação a S. João da Madeira do embaixador.
Depois de uma visita guiada a este estabelecimento de ensino, Cai Run defendeu estar perante uma escola “moderna e de grande qualidade”. Esta visita serviu também para perceber melhor a forma de como “a escola ensina esta língua” e para colocar e mostrar total abertura, colocando à disposição “tudo aquilo que for necessário” para o ensino desta língua, e ainda “todo o apoio e ajuda”, que passam pela contratação de professores chineses ou mesmo pelo simples fornecimento de materiais.
Cai Run garantiu ainda que “neste momento o relacionamento entre a China e Portugal encontra-se na melhor fase da História”, destacando a importância da aprendizagem do Português e do Mandarim nestes dois países. ”Há alguns anos atrás, na China, tínhamos apenas três universidades que ensinavam a Língua Portuguesa. Neste momento, existem mais de 30 a ensinar Português”, explicando ainda que existem mais de mil estudantes universitários chineses a estudar em Portugal.

Melhor aluno poderá estudar na China

O embaixador da República Popular da China deixou ainda um desafio a estes estudantes. “Se algum aluno que estude Mandarim nesta escola, que tenha bom aproveitamento e que esteja interessado em aprender a língua na China, disponibilizamos uma vaga numa primeira fase”, com a possibilidade de, no futuro, abrirem mais vagas a outros interessados, com todas as despesas asseguradas. Além de aprender Mandarim, “terá ainda a possibilidade de frequentar a faculdade na China”.
Ao todo, o Agrupamento Oliveira Júnior tem 235 alunos a estudar Mandarim, que se dividem entre ensino Básico e Secundário, o que “representa 15 por cento do total de alunos (1750 alunos)”, explicou Mário Coelho, Diretor do Agrupamento. Este responsável assegurou ainda que o Agrupamento “vai continuar a oferecer Mandarim aos alunos que assim o pretendam”, considerando que “a promoção das línguas aproxima as pessoas e os países”.

S. João da Madeira e o Mandarim pelo mundo

O certo é que tudo, ou quase tudo, já foi escrito e falado sobre a aprendizagem do Mandarim nas escolas de S. João da Madeira, que arrancou em Janeiro de 2013. Mas muitos desconhecem que esta iniciativa tem corrido o «mundo» e que este concelho há muito que deixou de ser conhecido simplesmente pela cidade do trabalho, dos sapatos ou chapéus, passando a ser falada pela cidade que ensina Mandarim nas escolas.
Cinco anos depois, é fácil afirmar que se trata do programa que mais visibilidade externa tem dado a S. João da Madeira.
Relembre-se que este projecto foi uma iniciativa da Câmara Municipal de S. João da Madeira, tendo para o efeito a coordenação científica e pedagógica da Universidade de Aveiro, através do seu Departamento de Línguas e Culturas.
Desde a primeira hora, o programa mereceu a maior das atenções de vários órgãos de comunicação social. Numa breve pesquisa, foi possível verificar que várias equipas de jornalistas de jornais e televisões de expansão nacional já se deslocaram às escolas de S. João da Madeira.
Alison Roberts, correspondente de Portugal, da BBC News, referiu que uma colega da BBC de Londres, ao saber desta iniciativa, e por achar que as notícias que vinham na altura de Portugal, «a nível económico», não eram as melhores, «pensou em fazer esta reportagem e eu acompanhei a mesma». Visitaram empresas, falaram com as crianças e «sentimos que esta câmara estava empenhada em ensinar o Mandarim, pois o mercado empresarial é muito forte na região». Recorda também que na altura alguém terá dito: «pode estar a trabalhar uma pessoa da China em Portugal e se alguém entrar num café e souber dizer bom dia em Mandarim isso já será bom».  
Continuando uma breve pesquisa no Google, são dezenas de artigos em inglês, francês, espanhol e até chinês que foram escritos por diversos jornais online estrangeiros. Podemos citar a BBC Rádio, que, segundo apurámos, deslocou duas jornalistas, propositadamente, a S. João da Madeira, ou o “The Stasiareports Times”, que começa o artigo assim: «500 anos depois dos portugueses se transformarem nos primeiros europeus a estabelecerem relações comerciais por mar com a Ásia, uma cidade do norte de Portugal quer contar com os seus mais jovens para dar esses passos de gigante».
O canal de televisão CCTV destaca, em língua espanhola, que «esta cidade, S. João da Madeira, que é a capital do fabrico de calçado de luxo de Portugal, transformou o ensino do chinês como uma disciplina obrigatória para os alunos de oito e nove anos de idade».
O jornal francês Le Parisien também dá grande destaque ao assunto, relevando, numa grande reportagem, entrevistas com alunos, uma mãe, um empresário e a vereadora da Educação da autarquia. O empresário de calçado Mário Tavares, ouvido por este órgão de informação, afirmou, na altura, que «a China é um potencial a descobrir, um dia, e que poderá se transformar no nosso mercado principal». (La Chine a le potentiel pour devenir, un jour, notre marché principal). A encarregada de educação Estela Magno Ferreira Fachada mostrou-se a este jornal admirada com os progressos do seu filho. “O Eduardo gosta muito e já não dispensa”, afirmou.

Comentar

Anónimo
Tempo
Farmácias de Serviço
Edição Impressa
Publicidade
Classificados
Armazém ou garagem
Aluga-se ou Vende-se Armazém ou garagem 60 euros /mês Com opção d...
Aluga-se
Apartamentos
Vende-se Apartamentos em construção Entrada de Nogueira do Cravo ...
Venda