Homenagem a Casimiro Loureiro
05-07-2018 | por Prof. Manuel Joaquim Santos Conceição
Justa homenagem ao Sr. Casimiro Loureiro e que constitua um incentivo para os mais jovens se entregarem também aos outros, servindo as coletividades, as associações, as instituições e a autarquia.

Casimiro Loureiro com a sua família
Estatísticas

128 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

A 28 de setembro de 1969, casara com a Prof.ª Maria da Conceição Ferreira Ribeiro. Tiveram 4 filhos e, nesta altura, têm 4 netos.
Casimiro Loureiro Dias de Pinho, um dos 7 filhos de Roberto Leite Dias de Pinho e Ermelinda Borges Loureiro, agricultores, nasceu no lugar de Milheirós, na conhecida Casa da Herdade, freguesia de Milheirós de Poiares, a 28 de setembro de 1940.  A 28 de setembro de 1969, casara com a Prof.ª Maria da Conceição Ferreira Ribeiro. Tiveram 4 filhos e, nesta altura, têm 4 netos.
Casimiro Loureiro Dias de Pinho foi alvo duma justa e merecida homenagem no dia 19 de maio de 2018, não própria e exclusivamente pela sua atividade profissional ou familiar, mas sim por dedicar uma grande parte do seu tempo e até, às vezes, com prejuízo manifesto de seus bens, em benefício de outras pessoas, de instituições sociais e lúdicas diversas, Igreja e autarquia.
Iniciou-se nesta entrega aos outros como presidente da Sociedade Columbófila Pátria, no ano de 1957.
Mais tarde, foi secretário da Junta de Freguesia de 1972 a 1974, com Manuel Campos de Pinho a presidente e Manuel Francisco Ferreira da Conceição a tesoureiro. Foi obrigado juntamente com seus pares a demitir-se pela conjuntura política e social, vivida após a revolução dos cravos, apesar das pessoas da localidade se manifestarem dizendo em alta voz: “queremos a mesma [Junta]! queremos a mesma!” – sinal de que estavam satisfeitas com o atendimento prestado e com as obras que vinham realizando.
Após o 25 de abril de 1974, foi secretário da primeira Junta de Freguesia dita eleita democraticamente, incluindo Augusto de Oliveira Casimiro a presidente e Isaías Francisco Correia a tesoureiro, entre 1976 e 1979.
Fez parte da Direção do Grupo Desportivo Milheiroense em 1981.
Em 1997 foi eleito presidente da Junta de Freguesia de Milheirós de Poiares, eleição repetida 2 vezes, em 2001 e 2005, pelo que presidiu à gestão da res publica da freguesia desde 1997 a 2009, sendo o seu vencimento sempre doado às instituições.
Desempenhou a função de membro da Assembleia de Freguesia de 2009 a 2013.
Em 2012, participou ativamente na campanha do referendo, defendendo com arrojo e coragem a integridade do concelho de Santa Maria da Feira.
A nível concelhio foi, por inerência do cargo de presidente da Junta de Freguesia, membro da Assembleia Municipal de 1997 a 2009; e, ainda, por eleição, nos mandatos iniciados em 2013 e 2017
De 2010 a 2016 representou a Assembleia Municipal na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Santa Maria da Feira.
Como pai responsável, foi um dos fundadores da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária N.º 3 de São João da Madeira, no ano de 1983, mantendo-se como um dos diretores até 1987.
Também no entretenimento ou lazer preferido, a caça, fez história. Para além de assíduo caçador, empenhou-se na fundação de 2 associações relacionadas com a modalidade: em 1989, Associação de Caça e Pesca da Senhora de Almortão, com sede em Castelo Branco; e em 1984, Clube de Caçadores e Pescadores de Milheirós de Poiares, da qual é presidente de Direção desde o início.
É colaborador da paróquia, integrado na Fábrica da Igreja de Milheirós de Poiares, como tesoureiro, função que exerce ininterruptamente desde 1986.
Fez a contabilidade do Centro Infantil de Cesar, durante mais de 2 décadas, gratuitamente.
O centro Social Dr. Crispim Teixeira Borges de Castro, instituição particular de solidariedade social, uma das empresas maiores de Milheirós de Poiares, com creche, ensino pré-escolar, centro de atividades de tempos livres, centro de dia, estrutura social para pessoas idosas, serviço de apoio domiciliário, serviço de acompanhamento e apoio social, com um movimento anual de mais de um milhão de euros, tem tido ininterruptamente desde 1992 até hoje como presidente da Direção o homenageado Casimiro Loureiro Dias de Pinho. Convém assinalar que nem ele nem nenhum dos outros membros da Direção, Conselho Fiscal e Assembleia Geral recebem qualquer vencimento. Convém informar, pois, às vezes, nos meios de comunicação social, há referência a associações da mesma natureza, cujos diretores têm vencimentos milionários. Não é o caso desta Associação. Muito pelo contrário. Os membros dos corpos sociais trabalham por amor à causa social e muito particularmente Casimiro Loureiro, o presidente da direção. Acresce dizer ainda que Casimiro Loureiro, para além das funções inerentes ao exercício do cargo de presidente, durante vários mandatos fez a contabilidade da instituição sem qualquer remuneração; e vezes sem conta tem ido, à noite e madrugada, quando necessário, ajudar no transporte de funcionários acompanhantes de utentes do lar ao hospital.
Concluindo, a homenagem teve razão de ser e oxalá que constitua um incentivo para os mais jovens se entregarem também aos outros, servindo as coletividades, as associações, as instituições e a autarquia.
Bem-haja! Sr. Casimiro, esposa, filhos e demais famílias.

 

 

Comentar

Anónimo