Protesto dos professores
Greve às avaliações também se faz sentir nas escolas sanjoanenses
05-07-2018 | por JGC
Estatísticas

301 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

A greve dos professores às avaliações também se está a fazer sentir nas escolas sanjoanenses, levando ao adiamento da entrega das notas aos encarregados de educação, nomeadamente no 1.º ciclo.
Com os professores em greve às avaliações, as reuniões de conselho de docentes têm sido suspensas, uma vez que para a sua realização é precisa a presença mínima dos titulares de turma. Só depois destas reuniões é que as notas dos alunos podem ser lançadas e os respetivos registos de avaliação final entregues aos encarregados de educação.
‘O Regional’ sabe que esta greve tem tido um forte impacto nas reuniões de avaliação nos três agrupamentos de escolas do concelho de S. João da Madeira sendo que, segundo dados disponibilizados pelo Sindicato dos Professores do Norte (SPN), entre 80 a 100 por cento das reuniões agendadas não se terão realizado.
No site do Agrupamento Oliveira Júnior foi publicado um aviso informando que as reuniões de entrega de avaliação não se iriam realizar nas datas previstas «devido à greve dos docentes às reuniões de avaliação», acrescentado que as mesmas «serão agendadas oportunamente e divulgadas» no portal.
O Agrupamento Dr. Serafim Leite informou também no seu site o adiamento da «generalidade das reuniões» com os encarregados de educação que estavam agendadas para dia 21 de Junho, divulgando entretanto datas de novas reuniões, mas apenas relativas a algumas turmas.
Também no site do Agrupamento de João da Silva Correia foi publicado um aviso relativo ao adiamento das reuniões de entrega das avaliações que estavam marcadas para dia 2 de Julho, mas essa informação foi actualizada esta quarta-feira, reagendado as reuniões de entrega das notas do 1º ciclo ainda para esta semana.
Relembre-se que a greve às avaliações está convocada até 13 de Julho, sendo que a questão central neste protesto se prende com a contagem integral do tempo de serviço congelado há nove anos.
Entretanto, com a FENPROF a divulgar dados de adesão à greve acima dos 90 por cento a nível nacional, o Ministério da Educação convocou os sindicatos para uma reunião a realizar no dia 11 de Julho. Relembre-se que, no início da passada semana, foram decretados serviços mínimos relativos às reuniões de avaliação do 9.º, 11.º e 12.º anos.

 

 

Comentar

Anónimo