Questões da nossa Cidade DCCLXXVIII
14-06-2018 | por Adé
Estatísticas

1616 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

I – Acreditar em quem e em quê?
Se já existia alguma desconfiança das decisões e promessas vindas do topo da hierarquia política do nosso município, por causa daquela infeliz promessa do estudo sobre os atropelamentos na cidade, agora nem nas informações vindas na Agenda Municipal de Actividades podemos confiar, pois o passeio não se fará no dia indicado na dita agenda nem há informações sobre a data provável! É caso para perguntar: a quem e em quê, vindo da Câmara Municipal, devemos acreditar?
Quem, idoso como eu, aceitou como fidedigna a informação da Agenda que apontava o Passeio Sénior para o dia 12 de Junho, como foi o meu caso, procurou que nenhuma consulta, exames médicos ou compromissos de outra ordem fossem marcados para essa data, de forma a estar disponível para o passeio habitual nesta altura do ano. Ora, a haver adiamento da data, como aconteceu, esperava-se que esta informação fosse rapidamente divulgada através da comunicação social para conhecimento das pessoas participantes nestes passeios. A população merece isso. A população tem direito a ser informada disso e de outras coisas mais!
Mas, infelizmente, isso não foi feito! E disso culpo a Câmara Municipal – a responsável pela Agenda distribuída. Mas a Junta de Freguesia não sai disso de mãos limpas, pois é ela a principal organizadora destes eventos e mais uma vez vacilou. Não aligeirou a escolha do local do passeio, deixando que as coisas corressem sem controlo e a data prevista foi ultrapassada. Ainda não assimilou que é com estas organizações que a população faz a sua avaliação sobre o desempenho da Junta de Freguesia! Sabemos que entrou gente nova para o seu executivo, mas isso não pode servir de desculpa pela forma como repete os erros de avaliação temporal para a realização desde evento exclusivamente para idosos. Sei que errar é humano! Mas insistir no mesmo erro é... isso mesmo, acertou! Só faltava agora que se desculpassem com o desconhecimento da data indicada na Agenda Municipal de Actividades!
As pessoas escolhidas e eleitas para cargos políticos na Junta de Freguesia e para a Câmara Municipal devem exercer os cargos com espirito de missão e na firme vontade de servirem a população que os elegeu. Quem não entender isso, o melhor que tem a fazer é desistir, abdicando!
Todavia há em tudo isso muita falta de consideração pela população, pois, se assim não fosse, seríamos sempre bem informados, o que infelizmente não acontece! A população só merece a vossa atenção quando há eleições. Nessa altura até vão às nossas casas, mesmo sem serem convidadas! Mas informar-nos devidamente como é o vosso dever e parte dos nossos direitos, não o fazem!

II – Estratégias iguais?
Se tivermos em atenção tudo aquilo que tem sido feito pelo executivo PS na Câmara Municipal, que não é apenas pouco mas, sim, muito, muito pouco até ao momento, mercê, talvez, da já esperada inexperiência do cargo e daquilo que tem sido a postura da oposição pacífica por parte da coligação PSD/CDS, estou em admitir que ambos têm a mesma estratégia: o executivo do PS, acha que, não tendo dinheiro para gastar agora com obras de encher o olho, vai fazendo uma gestão dos projectos encontrados do executivo anterior e esperar para uma altura mais próxima das próximas eleições autárquicas para fazer algo de grandioso e com isso assegurar a renovada confiança da população. E isso não será difícil de conseguir, se se mantiver a inércia da oposição da referida coligação, acrescida da pública manifestação de descontentamento feita por alguns notáveis militantes do PSD, que não desistem da tentativa de desestabilizar o partido e molestar a anterior e a actual direcção da Concelhia do PSD!  
A coligação PSD/CDS, cujo papel do CDS continua a passar despercebido, adoptou, ao que parece, uma igual estratégia de não usar agora os “cartuchos” que serão precisos mais adiante e já mais próximo das eleições. Assim, vai gerindo o tempo, sem sobressaltos, uma vez que o executivo não se mostra capaz de apresentar algum projecto de vulto que preocupe a coligação política PSD/CDS!
E é assim, neste passo de devagar, devagarinho, que a nossa política local se vai mostrando. Sem rasgos e sem ideias renovadas para a cidade. Nada se passa, nada se renova e continua tudo na mesma pasmaceira! Até quando? Santa paciência!!!

III – Promessas não cumpridas, quem não as fez?
Ouvi na televisão um pouco da entrevista dada à rádio pelo do Dr. Castro Almeida, ex-presidente do nosso município, que criticava o PS e o Primeiro Ministro, António Costa, de ter prometido aos professores a recuperação dos anos de carreira e não ter cumprido. Eu também penso que as promessas são para ser cumpridas quando feitas de boa fé.
Contudo, achei que o Dr. Castro Almeida não era a pessoa certa para fazer as críticas que fez, já que ele próprio, numa determinada altura, prometeu que o vencimento mais baixo de um funcionário municipal local seria de seiscentos euros, na altura em que o ordenado mínimo era de quatrocentos e alguns euros. E essa promessa nunca terá sido cumprida durante os seus mandatos!
E então?          

IV – Jesus (cristão) vai treina muçulmanos
Confirmada a competência do Jorge Mendes que conseguiu transferir Jesus para o lado dos muçulmanos, surpreendendo até o nosso Papa Francisco, alguém terá perguntado ao príncipe saudita - que foi o responsável pela contratação - por que contratara um cristão para treinar muçulmanos? O príncipe terá respondido: ao que sei, Jesus faz milagres e nós estamos necessitados deles!

V – O sucesso pela maluquice
Toda gente se recorda da entrevista do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, quando afirmou que para ter sucesso teve que fingir que era maluco!
Ora, numa recente conferência de imprensa com Bruno de Carvalho, ele terá gritado virado para jornalistas e algum público presente: “Então, o que é isso? Está tudo maluco?”
A resposta ouvida em uníssono foi: “Estamos a fingir”!

Comentários
Anónimo | 18-06-2018 20:56 E o teste de alcoolémia?
Será que também a manifestada intenção feita pela mesma pessoa, de fazer testes de alcoolémia diariamente aos funcionários municipais (que somente depois se disse ser inconstitucional), era somente aos funcionários da Águas S. João? Pois, pois...
Anónimo | 17-06-2018 16:10 600 EUROS PARA AS ÁGUAS S. JOÃO
A promessa de 600 euros foi para as ÁGUAS DE S. JOÃO e foi cumprida. Nunca a promessa foi feita para os funcionários da CÂMARA. Nem podia senhor Adè. O Dr Castro Almeida é um ilustre jurista e sabe que só o governo pode decidir sobre as remunerações dos funcionários da administração pública - central e local.
Prometeu como salário mínimo das Águas de S. João 600,00 ?. Cumpriu. A lei dá poder às Câmaras(melhor, aos Conselhos de Administração) para decidir as remunerações dos trabalhadores das empresas municipais mas impede-as de decidir sobre os salários dos trabalhadores municipais.É pena, na qualidade de familiar de um funcionário das Águas de S. João que neste valor não tenha sido mais actualizado em 8 anos,
Senhor Adé se está de boa fé corrija. Se não corrigir fica muito mal na fotografia.
JOSÉ REIS

Comentar

Anónimo