No Pavilhão Desportivo das Travessas
Encerramento da Visita Pastoral recebeu mais de três mil pessoas
14-06-2018 | por António Gomes Costa
O Pavilhão das Travessas recebeu o encerramento da Visita Pastoral com a presença do Bispo do Porto e seus auxiliares. Mais de três mil pessoas marcaram presença numa cerimónia que reuniu as 18 paróquias que integram a Vigararia de Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira.

Encerramento da Visita Pastoral em S. João da Madeira
Estatísticas

1470 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Ao longo de vários meses, as 18 paróquias que integram a Vigararia de Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira receberam a Visita Pastoral, numa altura em que a igreja vive um tempo novo em que pretende estreitar laços com a comunidade.
Assim o Bispo do Porto e dois bispos auxiliares conheceram de perto a realidade desta região diocesana e da grande importância destes momentos na vida da Igreja e da sociedade.
Apesar da chuva, no passado domingo, dia 10, o Pavilhão das Travessas, em S. João da Madeira, recebeu o encerramento da Visita Pastoral, que reuniu mais de três mil pessoas oriundos das 18 paróquias da vigararia, presidida por D. Manuel Linda, Bispo do Porto e com a presença dos três bispos auxiliares.
“Os nossos bispos auxiliares, ainda antes da chegada à diocese de D. Manuel Linda, prepararam com os diversos párocos a sua presença nas comunidades. Todos deviam estar incluídos em cada visita pastoral: crianças, jovens, famílias, doentes e sós. A presença do bispo abrangeria liturgia, caridade e profecia, presença e diálogo com a sociedade a quem servimos”, assume Álvaro Rocha, Pároco de S. João da Madeira, também ele presente na comemoração.
A celebração ficou ainda marcada pela presença de vários jovens, o que “deu muita vida a esta tarde, já que, durante uma boa meia hora, animaram musicalmente toda a assembleia”. As paróquias estiveram presentes nas suas “irmandades e confrarias”, nos seus grupos e movimentos. O abade assume que não faltaram sinais de uma vigararia “comprometida com a missão. As cruzes da Visita Pascal deram um colorido muito especial, aqui e ali valorizado com as campainhas, porque nada mais temos a anunciar senão Jesus crucificado e ressuscitado”.
De destacar ainda a prestação do grupo coral, que juntou elementos de toda a vigararia, de vários jovens que participaram ativamente neste encerramento e de vários acólitos que “dignificaram a liturgia”. O conselho vicarial de leigos teve um papel “incansável” para reunir todas as condições. Durante a homilia, o novo Bispo de Porto comentou a “Palavra de Deus por todos escutada”. Referiu que “Jesus” está disponível para atender “quantos O procuravam, pregando uma nova realidade, apesar da incompreensão dos familiares e da crítica dos homens do poder religioso e político”. Sublinhou ainda que “é à volta de Jesus que se ganha vida, em verdade e liberdade”. E, num segundo momento, centrou-se na Visita Pastoral a cada paróquia e à vigararia, “lembrando a necessidade de cimentar em Jesus a comunidade que o segue, para fortalecer a unidade na diversidade, de que os bispos são servidores”.
Recorde-se que as visitas pastorais são uma prática instituída há séculos, tendo como principal objectivo manter os vínculos de proximidade da hierarquia da Igreja com as suas comunidades paroquianas.
 

Comentar

Anónimo