Questões da nossa Cidade DCCLXVIII
12-04-2018 | por Adé
Estatísticas

1366 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

I – Nem prioridade nem estudo
Já passou algum tempo desde que o actual Presidente da Câmara Municipal anunciou, no seu discurso de tomada de posse, que o aumento territorial do Concelho era a sua principal prioridade. Referia-se, concretamente, à vontade expressa pela maioria dos milheiroenses, que gostariam que a sua Freguesia fosse anexado ao Concelho de S. João da Madeira, baseado na proximidade territorial e dos benefícios - que são alguns - que tal situação traria para Milheirós.  
Acontece é que até à data não se conhece nenhuma iniciativa política, sua ou do município a que preside, que demonstre que a prioridade anunciada é mesmo para levar a sério.
Como se calcula, a partir desse anúncio feito no passado dia 5 de Outubro de 2017, toda a população são-joanenses ficou curiosa em saber quais os fortes argumentos que estariam na posse do actual presidente do município são-joanense, que iriaM fazer inverter a situação a favor dos interesses dos milheiroenses e da maioria dos são-joanenses!
Teremos que esperar ainda muito mais tempo para que o presidente demonstre que a sua intenção tida como prioritária tem “pernas” para andar?
É claro que, no mesmo pé, está também o anunciado estudo que o presidente disse ir mandar fazer num prazo de 30 dias, logo depois de ter tomado conhecimento de um atropelamento em cima da passadeira na avenida Dr. Renato Araújo, para de imediato tomar as decisões necessárias para minimizar ou mesmo acabar com esses atropelamentos, que sempre preocuparam a nossa população. E ao que se sabe, nada foi feito até à data. Se algo foi ou está a ser feito, estará no segredo dos gabinetes, sem a devida informação pública. E isso é mau para a credibilidade de quem fez os anúncios e as promessas!

II – Passadeiras alagadas
São muitas as passadeiras alagadas na nossa cidade que, nestes tempos de chuva farta, mais parecem riachos em planícies cobertos de lama!
Na verdade, para além dos passeios mal feitos, há também uma maioria de passadeiras alagadas por defeito de construção, que deveriam receber a atenção de quem tem a responsabilidade de cuidar da qualidade de vida dos são-joanenses. E julgo que, quer os passeios, quer as passadeiras, precisam urgentemente de serem assinaladas e requalificadas para a melhoria da mobilidade das pessoas e dos seus bens!
Alguns exemplos: as passadeiras no extremo norte do final da avenida Dr. Renato Araújo, junto ao Mercado Municipal, uma que atravessa a avenida Engenheiro Arantes e Oliveira e a outra em direcção à saída do Parque subterrâneo para estacionamento automóvel tornaram-se perigosas para quem não leva galochas e não saiba nadar! A passadeira próxima do viaduto na avenida do Vale do Vouga e muito utilizada por alunos das escolas e utentes da Centro de Saúde! Um martírio para os peões quando chove! Outras existirão na cidade. Haja quem se ocupe deste problema para que não se repita para o ano que vem!

III – Minutos de lazer
Gostei de ver os funcionários do Mercado Municipal a fazerem exercícios físicos num momento de pausa laboral. Uma inovação local que já foi anunciado pela comunicação social de outras paragens. O exercício físico é sempre óptimo para a saúde dos praticantes e também uma forma de união entre os trabalhadores. Está de parabéns o Professor Pedro Silva, de quem supostamente saiu a ideia.
E já que estou a falar do Mercado Municipal: ouvi dizer - carece ainda de confirmação - que a Câmara irá contratar uma empresa para fazer limpeza no interior do nosso Mercado! Eu pergunto: isso é o reconhecimento de que a limpeza do Mercado não tem sido bem feita nestes anos todos e que algumas queixas ouvidas sobre o assunto ultimamente tinham razão de ser?
 

Comentários
Anónimo | 12-04-2018 20:20 obrigado
haja alguém que nos ajude nesta luta!
de um milheiroense que aguarda a transferência!!

Comentar

Anónimo