Nova adjudicação na próxima semana
Obras da Urgência estão paradas desde Janeiro
12-04-2018 | por António Gomes Costa
Estão paradas desde Janeiro por “incumprimento do empreiteiro” contratado. O Centro Hospitalar Entre Douro e Vouga espera “lançar na próxima semana” nova adjudicação dos trabalhos pendentes nas obras da Urgência do Hospital de S. João da Madeira, cuja conclusão está prevista para o primeiro semestre de 2018. Amanhã a Unidade de Cirurgia de Ambulatório deste Hospital irá receber o utente 35 mil.
Estatísticas

872 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

As obras de requalificação do Serviço de Urgência do Hospital de S. João da Madeira estão paradas desde Janeiro deste ano. Segundo apurámos, esta situação deve-se ao “incumprimento por parte do empreiteiro contratado”, que não terá cumprido o contrato feito com o Centro Hospitalar.
No início deste ano, Miguel Paiva, administrador do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV), estrutura que integra, além do Hospital de Santa Maria da Feira, os de S. João da Madeira e Oliveira de Azeméis, dava conta aos jornalistas que já nessa altura as obras se encontravam «muito atrasadas», considerando estar a trabalhar com uma «empresa incumpridora», uma vez que  o «empreiteiro não cumpriu com a sua palavra».
Segundo se sabe, e apesar de parados nesta altura, cerca de “60 por cento dos trabalhos” de requalificação do serviço de Urgência estão já concluídos. Este “reiterado incumprimento por parte do empreiteiro” não terá deixado, segundo fonte do CHEDV, “outra opção a não ser procurar um acordo de rescisão do contrato da obra” e, assim, permitir ao Centro Hospitalar “dar início a novo concurso com vista a encontrar uma nova empresa que assegure o término dos trabalhos de requalificação pendentes”.

Novo processo de adjudicação para a semana

Este acordo de rescisão, que implicou a avaliação “exaustiva dos trabalhos realizados e por realizar, só foi possível de alcançar na passada semana, tendo sido assinado o acordo entre as partes”, refere ainda a mesma fonte.
Ultrapassadas todas as “burocracias inerentes”, sabe-se que o CHEDV irá “lançar, já na próxima semana”, um novo processo para a adjudicação dos “trabalhos pendentes”, sendo expectável que essa conclusão aconteça ainda durante o primeiro semestre de 2018.
Recorde-se que a intervenção em curso tem como objectivo garantir um maior conforto aos utentes e familiares desta unidade de saúde, uma vez que a mesma não era “funcional” e as obras em curso visam melhorar a área de entrada na Urgência.
A empreitada, orçada em aproximadamente 200 mil euros, é totalmente financiada por fundos próprios do hospital.
A nossa reportagem tentou uma reação por parte da administração do hospital relativamente a este assunto, mas o mesmo não foi possível até ao fecho da nossa edição.

Cirurgia de  Ambulatório  alcança os 35 mil doentes

A Unidade de Cirurgia de Ambulatório (UCA) do Hospital de S. João da Madeira irá receber, amanhã, dia 13, o utente 35 mil. Em funcionamento desde 2009, a Unidade de Cirurgia de Ambulatório neste hospital é uma referência nacional em Cirurgia de Ambulatório, tendo obtido o nível de Excelência Clínica da Entidade Reguladora de Saúde (ERS). Esta conta, ao longo destes anos com as especialidades de Cirurgia Geral, Oftalmologia, Ginecologia, Ortopedia, Cirurgia Plástica, Otorrino e Urologia. Ao nível da produção cirúrgica da UCA destacam-se as especialidades de Cirurgia Geral, responsável por 35 por cento da produção cirúrgica, seguida de Oftalmologia (28 por cento) e Ortopedia (18por cento).
Segundo os últimos dados, registados em junho de 2017 pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), relativos à variação da Cirurgia de Ambulatório em Portugal, o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga - Hospital de S. João da Madeira é a instituição dentro do seu grupo de referência (grupo C) que apresentou a maior evolução ao nível da Cirurgia de Ambulatório.
 

Comentar

Anónimo