Os chapéus de Harvy Santos e os sapatos de Amber Ambrose Aurèle
Designers internacionais mostram-se nos museus sanjoanenses
12-04-2018 | por Joana Gomes Costa
Os Museus da Chapelaria e do Calçado inauguraram, no passado domingo, as novas exposições que marcam o início do ciclo «Criar entre mundos. Da cabeça aos pés». Até 23 de Setembro, os visitantes podem conhecer os chapéus de Harvy Santos e os sapatos de Amber Ambrose Aurèle, dois jovens designers internacionais – ele filipino radicado em Londres e ela holandesa – que, nas palavras do presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, representam “o presente e o futuro” das duas indústrias, cuja força deu “autonomia administrativa” à cidade, numa homenagem a “todos aqueles que construíram a nossa identidade”.
Estatísticas

502 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

«Harvy Santos. Oito estações» é a exposição temporária patente no Museu da Chapelaria, onde são apresentados os chapéus do jovem designer de chapéus filipino radicado em Londres. A mostra está dividida em oito colecções diferentes, reunindo 81 chapéus de Harvy Santos, produzidos entre 2013 e 2017.
«Amber Ambrose Aurèle. Caminhando no País das Maravilhas» é o título da exposição temporária patente no Museu do Calçado, a primeira a solo da jovem designer de sapatos holandesa. Com base no seu trabalho desde 2012, esta mostra marca também a estreia absoluta da sua nova colecção.
Os dois designers estiveram em S. João da Madeira onde participaram, não só na inauguração das exposições, como numa masterclass dirigida a alunos do ensino superior e cursos tecnológicos de design e moda.
Na inauguração das exposições, o presidente da Câmara Municipal, Jorge Sequeira, lembrou que S. João da Madeira é “uma terra de chapéus e de sapatos”, sendo hoje “uma cidade cuja autonomia administrativa se deve à força da sua indústria”. Assim, o autarca defende a “homenagem à sua indústria”, “àqueles que construíram a nossa identidade” e a todos que, no dia-a-dia, “desenham e fabricam chapéus e sapatos”.
É por isso que Jorge Sequeira defende que exposições ligadas as estas indústrias fazem “todo o sentido” e são uma forma “de celebrar a nossa história, o presente e o futuro”.
“Estes designers, Harvy Santos e Amber Ambrose Aurèle, são o presente e o futuro”, disse Jorge Sequeira, afirmando que o trabalho de ambos é uma nova “interpretação singular” dos chapéus e dos sapatos, criados por artistas de “geografias completamente diferentes”.
Suzana Menezes, chefe da Divisão de Cultura do município sanjoanense, explicou que as duas exposições temporárias marcam o arranque do ciclo «Criar entre mundos. Da cabeça aos pés», título que remete para a ideia de multiplicidade cultural e identitária que a proveniência de cada um dos artistas convidados sugere, mas também para as múltiplas ideias, conceitos e mensagens que a obra de cada um deles expõe.
A responsável fez questão de sublinhar que as inaugurações do passado domingo representaram o culminar de vários meses de um “longo trabalho de investigação e organização das exposições”, realçando assim o trabalho das equipas dos dois museus sanjoanenses. Aos dois designers agradeceu a “grande disponibilidade” e “profundo obrigado”, considerando que “fazia todo o sentido” que o trabalho de Harvy Santos e Amber Ambrose Aurèle fosse apresentado “na terra que é capital do calçado e da chapelaria em Portugal”.

Visita guiada pelos designers

Harvy Santos, o bailarino que se tornou designer de chapéus, fez uma breve apresentação do seu trabalho e percurso à entrada para a sua exposição, considerando que usar um chapéu é como “ter uma festa na cabeça”. Falou dos materiais que usa e da inspiração para as suas colecções.
Harvy Santos estagiou com alguns dos maiores designers de chapéus, como Noel Stewart e Stephen Jones, onde teve a oportunidade de criar peças para várias figuras públicas como Kylie Minogue ou Lady Gaga, e criadores consagrados como Thom Browne, Giles Deacon, Marc Jacobs e John Galliano.
Vencedor de diversos prémios, Harvy Santos foi nomeado Designer de Chapéus do Ano pela Hat Magazine’s (2012). É participante no «Headonism», iniciativa da British Fashion Council que pretende promover os jovens criadores. Aparece regularmente no guia de estilos de Royal Ascot e as suas peças são usadas por influentes divas do Pop como Hebe Tien ou Lady Gaga.
Amber Ambrose Aurèle percorreu também a sua exposição com o público presente, sublinhando que enquanto designer procura explorar as questões de género, explorando a identidade feminina, entre a mulher forte, poderosa e bem-sucedida que, ao mesmo tempo, é capaz de mostrar a sua vulnerabilidade. Os sapatos criados pela designer desafiam as fronteiras entre a Alta-Costura e a Arte.
Explicou ainda que esta, que é a sua primeira exposição a solo, marca ainda a estreia da sua mais recente colecção.
Amber Ambrose Aurèle lecciona História da Moda e do Calçado em Gaunzhou e Chonquing, China, e de Cultura e Lifestyle na Academia Artemis Styling, Amesterdão.
A inauguração da exposição ficou ainda marcada pela assinatura do protocolo de doação de um par de sapatos desenhados pela Amber Aurèle que integra agora a colecção do Museu do Calçado.

Comentar

Anónimo