Macieirense
12-04-2018

O Macieirense não merecia ter perdido a partida
Estatísticas

377 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Campeonato da 1.ª Divisão Distrital 
Novo mau resultado para o Macieirense
 
Macieirense, 2
Mourisquense, 3
 
Campo do Viso em Macieira de Sarnes
 Árbitro: Flávio Jesus auxiliado por Miguel Martins e Rafael Moreira
 
Macieirense: Rui (Cris 45’), Rosas, Xavi, Leitinho, Dani, Abel, Rúben, Diogo (Hélder 71’), Roma, João Luís e Dani Alves (Steeve 45’)
Treinador: Borges
 
Mourisquense: Vasco, André, Bruno, João Pedro, Figo, Casalinho (Brunito 60’), Xano (Fábio Diogo 45’), Yannick (Mira 60’), Hugo, Duarte e Paulo Monteiro
Treinador: Pedro Moniz
 
Disciplina: cartão amarelo para Yannick (26’), Abel (72’), Fábio Diogo (75’), Brunito (77’) e Rosas (79’)
 Marcadores: Hugo (21’), Rúben (24’), Roma (49’) e Paulo Monteiro (66’, g.p. e 80’, g.p.)
 
Após um interregno de uma semana, o regresso do campeonato trouxe um embate entre o Macieirense e o Mourisquense, no Campo do Viso.
Logo na primeira jogada do desafio, Roma cruzou para a área e um defesa adversário quase fazia um auto golo e, pouco depois, o mesmo Roma, do meio da rua, atirou forte ao lado da baliza visitante.
Apesar das más condições atmosféricas, ambas as equipas mostraram que tinham apenas um objetivo em mente para esta partida e que passava, obviamente, pela vitória.
Aos 21 minutos, os forasteiros inauguraram o marcador, por intermédio de Hugo, depois de Figo, ao segundo poste, ter acertado com o esférico no poste.
A resposta da formação orientada por Borges foi rápida, já que, passados apenas três minutos, Diogo cruzou para a área, onde apareceu Rúben, com um ligeiro desvio, a bater o guardião Vasco.
À passagem do minuto 31, João Pedro, depois de beneficiar de um atraso em que a bola parou no relvado encharcado, rematou perto do poste e, logo depois, um defesa visitante dominou o esférico com o braço dentro da sua área mas, para espanto geral, o árbitro mandou seguir o jogo. Este lance viria a ter preponderância no encontro, já que, no segundo tempo, Flávio Jesus já não teve qualquer dúvida em assinalar dois castigos máximos a favor do Mourisquense.
Aos 37 minutos, o árbitro interrompeu, por breves minutos, a partida, devido à forte chuva que se fez sentir em Macieira de Sarnes e que dificultou imenso a ação dos jogadores das duas equipas.
O Macieirense não podia ter desejado um melhor início de segundo tempo, já que, Roma, após um desvio de cabeça de Steeve, surgiu isolado e, face à saída de Vasco, fez um chapéu magnífico, uma verdadeira obra prima, para o 2-1.
Pouco depois, Xavi, na sequência de um livre marcado por Roma, desviou de cabeça e Leitinho, ao segundo poste, não conseguiu fazer a emenda.
A meio da segunda parte, o Mourisquense empatou novamente o encontro, após uma grande penalidade cobrada por Paulo Monteiro. De seguida, Cris, com uma boa defesa, evitou um novo golo dos visitantes.
Ao longo de todo o encontro, a entrega, o espírito de luta e a vontade de vencer foram bem evidentes em ambas as equipas, mesmo perante as dificuldades inerentes ao estado do tempo.
A dez minutos dos 90, o Mourisquense efetuou nova reviravolta, na sequência de outro penálti marcado por Paulo Monteiro.
Os locais ainda tentaram chegar, pelo menos, ao empate, porém, o marcador não sofreu mais nenhuma alteração.
Resultado injusto para o Macieirense, que, pelo que fez, não mereceu sair derrotado diante de um adversário que também valorizou este encontro.
 
 
 
 

Comentar

Anónimo