Casa da Criatividade foi palco de espetáculo único
Brigada Victor Jara cantou e encantou
12-04-2018 | por Paulo Guimarães
Estatísticas

628 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

A convite da Tuna d’Os Voluntários de S. João da Madeira, no passado domingo, 8 de abril, a Brigada Victor Jara atuou na Casa da Criatividade, 38 anos depois da sua primeira passagem pela cidade. Num espetáculo dividido em duas partes, coube à Tuna d’Os Voluntários fazer as honras da casa, com uma atuação que claramente esteve à altura de um concerto que se aguardava com grande expectativa, e que ficou comprovado quando a Brigada Victor Jara subiu ao palco. Não só pelo histórico do grupo, como também pela qualidade dos seus executantes, foi um final de tarde de boas recordações e de boa música, onde não faltaram os grandes sucessos, de um vasto reportório, daquela que provavelmente será a instituição maior no que concerne aos projetos de recriação do nosso cancioneiro tradicional.
Este é um dos grupos com mais longevidade na música portuguesa, por onde já passaram várias dezenas de músicos, entre os quais se encontra Minda Araújo, atual Presidente da Tuna d’Os Voluntários de S. João da Madeira, que foi o elo de ligação para a concretização deste espetáculo. “Em boa hora lancei o repto à Brigada Victor Jara para vir a S. João da Madeira, que prontamente aceitou. E quem veio à Casa da Criatividade certamente que deu por bem emprego o tempo ali passado”, frisou Minda Araújo.
Mas a primeira parte contou com a atuação da Tuna d’Os Voluntários que deixou em palco uma excelente imagem do trabalho que tem vindo a desenvolver, e provando que na cidade existem valores com que se pode contar. Sob a orientação de Artur Perestrelo, a Tuna ofereceu aos presentes uma atuação com base em temas da música tradicional portuguesa e a incursão por alguns da música ligeira, que colocaram os presentes a cantar. E assim estava lançado o mote para um grande espetáculo.
 Na segunda parte a Brigada mostrou a diversidade, congregando as canções mais ritmadas do norte com belas harmonias do Alentejo e até mesmo com influências trazidas por emigrantes de lugares tão contrastantes como o Norte de África e a Escócia. E porque a ligação continua bastante forte, não faltou uma subida ao palco de Minda Araújo, que interpretou um dos temas de referência da Brigada, recordando os bons velhos tempos em que passou pelo grupo. E a finalizar as duas horas e trinta minutos de espetáculo um momento único aconteceu em palco, com a Tuna d’Os Voluntários a atuar em conjunto com a Brigada Victor Jara, interpretando S. João Batista e Rema, dois temas emblemáticos do grupo. No final Manuel Rocha, um dos músicos mais emblemáticos da Brigada era um homem satisfeito, deixando palavras de elogio à Tuna d’Os Voluntários, não só pela organização do espetáculo, mas principalmente pela qualidade apresentada em palco pelos músicos e vozes da Tuna.
 

 

Comentar

Anónimo