Na última terça-feira
Emoção marcou a última Reunião de Câmara
08-02-2018 | por António Gomes Costa
A reunião do Executivo Municipal de S. João da Madeira, na passada terça-feira, ficou marcada pela emoção durante um voto de pesar pelo falecimento de duas figuras marcantes na cidade - Rui dos Santos Barata e Alberto Batista. A requalificação da Escola Secundária Dr. Serafim Leite e a gestão da eficiência eléctrica da iluminação pública foram ainda dois dos assuntos em discussão.
Estatísticas

524 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

A Câmara Municipal de S. João da Madeira aprovou, por unanimidade, na passada terça-feira, em reunião de executivo, um voto de pesar pelo falecimento de duas figuras marcantes na cidade - Rui dos Santos Barata e Alberto Batista.
O vereador Paulo Cavaleiro (PSD) lembrou que Rui Barata foi um homem de causas, e “fê-lo sempre com dedicação e empenho, características que sempre o qualificaram”. Do desporto à cultura, da política ao voluntariado, várias foram as razões que o fizeram mover por uma terra que “sempre amou”.
O vereador lembrou também que Rui Barata foi dos primeiros voluntários a inscrever-se no Banco Local de Voluntariado de S. João da Madeira, participando activamente numa série de actividades de voluntariado em S. João da Madeira.
Na política, foi um dos grandes impulsionadores do PSD na cidade, “sempre fiel aos seus princípios e aos valores políticos da social democracia, causa em que nunca deixou de participar, fez questão de deixar os seus contributos e opiniões, os quais bem assentes na experiência de quem já muito havia vivenciado”, lembrou o vereador.
A emoção do executivo falou mais alto, quando Jorge Vultos Sequeira lembrou o profissionalismo e a disponibilidade de Alberto Batista, funcionário da Câmara Municipal de S. João da Madeira ao longo de quase 40 anos. O edil assumiu que a sua partida deixa uma “profunda marca em quem com ele trabalhou e na própria cidade de S. João da Madeira, que adoptou como sua, e onde criou fortes laços, tornando-se extremamente activo na nossa comunidade, com uma especial apetência para o desporto e, em particular, para o atletismo, uma das paixões da sua vida intensa e altruísta”.
O edil lembrou que a morte de Alberto Batista deixou mais pobre o desporto na cidade, e que a sua partida “constituiu um choque para a Câmara Municipal, para os atletas dos Serviços Sociais do Pessoal do Município e para a generalidade dos sanjoanenses, que guardam na memória toda a sua grande dedicação e disponibilidade profissional, pessoal e, acima de tudo, cívica”. Para o autarca, Batista era um homem de grande coração e com uma forte personalidade, “soube sempre complementar a sua faceta de treinador de atletismo com uma vertente humana a todos os títulos assinalável, conseguindo resultados meritórios em ambos os campos, como demonstram inequivocamente as conquistas e os testemunhos dos seus atletas, bem como as distinções que recebeu e o apreço que lhe consagrou a comunidade desportiva em geral”.
O funcionário municipal esteve sempre ligado à organização do Grande Prémio Internacional de Atletismo 11 de Outubro, e à secção de atletismo dos Serviços Sociais do Pessoal do Município de S. João da Madeira. Viu ainda o trabalho desenvolvido neste âmbito com jovens de Fundo de Vila e do Orreiro ser reconhecido a nível nacional, em 2015, como iniciativa de Alto Potencial em Inovação e Empreendedorismo Social. Alberto Batista foi diversas vezes distinguido pela Associação de Atletismo de Aveiro e recebeu, no início de 2017, o Prémio António Leitão, como reconhecimento pelo seu papel na promoção da modalidade no distrito.     
O executivo fez a respectiva homenagem, cumprindo um minuto de silêncio.

Iluminação pública

A Gestão de Eficiência Eléctrica da Iluminação Pública (proposta apresentada pela Coligação PSD/CDS) foi um dos assuntos na mesa desta RC. O vereador Paulo Cavaleiro explicou que a coligação apresentou uma proposta para que o município “alterasse toda a iluminação pública na cidade para uma solução LED, ficando o município com total gestão”.
A coligação propõe uma empresa “especializada” que faz o “investimento e fica com parte do benefício”, existindo para a câmara um ganho que, segundo o vereador, rondará os “70 mil euros”. Este concurso, na modalidade ESE,  deve ser limitado “a empresas com capacidade comprovada no mercado e ser apoiado tecnicamente pela agência ENERGAIA da qual o município é associado, como já estava a ser efectuado, e, ainda, que estude, em simultâneo, a elaboração de um programa de eficiência energética com capitais próprios, aplicando aquela que revele ser a melhor solução”.
Por sua vez, o vice-presidente do município explicou que o município pretende encontrar uma solução “mais aberta”, que permita estudar a possibilidade de ser por investimento próprio da câmara.
Ficou deliberado por unanimidade na RC que  se “estude a abertura de um concurso de Gestão de Eficiência Energética da iluminação pública” e que “este concurso, na modalidade ESE, deve ser limitado a empresas com capacidade comprovada no mercado e ser apoiado tecnicamente pela agência ENERGAIA da qual o município é associado, como já estava a ser efectuado, e, ainda, que estude, em simultâneo, a elaboração de um programa de eficiência energética com capitais próprios, aplicando aquela que revele ser a melhor solução”.

Assembleia Municipal Jovem

O vereador do PSD realçou ainda o facto da “oposição não ter sido convidada para participar” na Assembleia Municipal Jovem de S. João da Madeira, um projecto desenvolvido pela Câmara e pela Assembleia Municipal de S. João da Madeira, em articulação com as escolas da cidade. Trata-se de um projecto que tem como objectivo aprofundar a participação cívica e política dos estudantes na cidade na gestão municipal e nos assuntos da sua comunidade.
O vereador criticou o facto do município ter enviado o convite “quatro horas antes do evento se realizar”, lembrando ainda que “a oposição faz parte deste projecto importante”, vincando que o mesmo “requer a participação dos vereadores da oposição e do líderes de bancada”.
O presidente lamentou a hora tardia do convite, reconhecendo que se tratou de uma falha no envio dos convites e assumiu que a ideia é ter, desde o início, a oposição neste projecto e que o mesmo só faz sentido dessa forma.

 

Breves

Parque Infantil  do Mercado
O vereador Paulo Cavaleiro lembrou na RC que o Parque Infantil do Mercado está há vários dias sem que o mesmo possa ser utilizado e pediu urgência na resolução deste problema. José Nuno Vieira, vice-presidente da edilidade, explicou que tudo se ficou a dever a um problema num dos equipamentos e que o mesmo foi encerrado por motivos de segurança, garantindo, no entanto, que o assunto “está a ser tratado” e que em breve o espaço voltará a estar de portas abertas.

Traseiras do  Hospital  sem iluminação
O cidadão Paulo Sá, entre vários assuntos, lembrou que numa das suas idas recentes à Urgência do Hospital de S. João da Madeira verificou que as traseiras desta unidade de saúde “estão às escuras”, tendo que recorrer a uma luz de presença para ali passar. Alertou ainda para o facto de uma lâmpada de um dos postes existentes no local estar “sempre intermitente”. O edil registou a observação, mas lembrou que se trata de um problema que terá que ser resolvido pelo Centro Hospitalar.


 

Comentar

Anónimo