Repor a verdade dos factos
11-01-2018 | por Câmara Municipal de S. João da Madeira
Estatísticas

220 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar


Em artigo de opinião publicado na edição de 4 de janeiro de 2018 do jornal ‘O Regional’, são propalados alegados factos a respeito da atividade autárquica que são absolutamente falsos.
Impõe-se, por isso, a reposição da verdade, para uma correta informação aos leitores do jornal ‘O Regional’ e aos cidadãos em geral:

1) É dito no referido artigo que este executivo municipal decidiu prorrogar a concessão à EDP. Essa afirmação é falsa. A decisão foi tomada pelo anterior executivo.
2) É dito também que o contrato com o atual concessionário da limpeza urbana vai “terminar em fevereiro”. Esta afirmação é igualmente falsa. Esse contrato de prestação de serviços termina em 29 de junho deste ano.
3) É dito ainda que a Câmara decidiu a “não realização” de um concurso público para seleção do concessionário da limpeza urbana. Outra afirmação falsa. O concurso por prévia qualificação para a “Prestação de Serviços de Recolha de Resíduos Urbanos, Lavagem de Equipamento e Limpeza Urbana no Município de São João da Madeira” está a decorrer, tendo o aviso de abertura deste procedimento sido publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 187, de 27 de setembro de 2017
A falsidade desta última afirmação constante do referido texto é especialmente grave, porquanto, na edição de ‘O Regional’ de 21 de setembro de 2017, noutro artigo de opinião do mesmo autor, reconhecia-se que, “na realidade, vai realizar-se um concurso público” para a Prestação de Serviços de Recolha de Resíduos Urbanos, Lavagem de Equipamento e Limpeza Urbana no Município, como o jornal havia noticiado já em 7 de setembro de 2017.
Quanto ao mais, todas as especulações e insinuações constantes desse artigo de opinião são absolutamente falsas e infundadas à luz do acima exposto, como bem sabe o autor do referido artigo de opinião, que, dessa forma, procurou deliberadamente induzir em erro os leitores de ‘O Regional’.

 

Comentar

Anónimo