Face à frequência de atropelamentos que gera “alarme social”
Câmara prepara medidas de protecção dos peões
11-01-2018 | por Joana Gomes Costa
Face à frequência de acidentes com peões, especialmente nas vias de circulação centrais da cidade, a Câmara Municipal de S. João da Madeira está a preparar um conjunto de medidas que visam a protecção à mobilidade pedonal. No primeiro despacho de 2018, o presidente da autarquia, Jorge Sequeira, deu instruções aos serviços para fazer o levantamento dos incidentes registados, assim como dos locais das ocorrências, para daí encontrar “medidas adequadas e estruturais” para dar resposta a uma situação que o autarca reconhece que gera “alarme social”.
Estatísticas

1645 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

O presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira deu instruções aos serviços da autarquia para procederem ao “levantamento e caracterização de todos os atropelamentos ocorridos na cidade nos últimos dez anos”.
No seu primeiro despacho de 2018, Jorge Sequeira determina que, no âmbito desse levantamento, a elaborar no prazo de 30 dias, sejam identificados e descritos “os locais das ocorrências, as suas causas e consequências e a dinâmica dos factos”. Este trabalho será assegurado pela técnica municipal da Protecção Civil, com o acompanhamento do vereador José Nuno Vieira, que tem a responsabilidade pela área do Trânsito e Mobilidade na autarquia sanjoanense.
Os resultados do levantamento serão depois analisados em conjunto com técnicos do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), “com vista à apresentação de medidas concretas de protecção da mobilidade”.
Esta decisão é tomada pelo presidente da Câmara “tendo em conta a frequência com que ocorrem atropelamentos de peões no tecido rodoviário da cidade, especialmente nas vias de circulação centrais, e o alarme social que esta situação gera”. Uma situação que exige a adopção de “medidas adequadas e estruturais”.
Relembre-se que o problema dos atropelamentos tem sido levantado por várias vezes na cidade, tendo sido abordado também na última sessão da Assembleia Municipal, com especial enfoque na situação da Avenida Dr. Renato Araújo, após um fim-de-semana em que se registaram dois acidentes no mesmo dia e num curto espaço de tempo.
No início de 2017, ‘O Regional’ abordou esta temática, revelando que, no ano anterior, se tinha registado um total de 30 atropelamentos de peões em S. João da Madeira. À altura, as vias com maior número de incidentes eram: Avenida Dr. Renato Araújo, Rua João de Deus, Avenida da Liberdade, Rua Visconde e Rua dos Bombeiros Voluntários. Nesta última, já em Julho de 2015, a autarquia criou passadeiras elevadas na zona de acesso entre a Santa Cada da Misericórdia, ACAIS e Centro de Saúde com o objectivo de melhorar a segurança dos peões, solução também adoptada em alguns arruamentos junto a estabelecimentos escolares.

Comentar

Anónimo