Projecto arranca com instalação de peça escultórica no átrio da Câmara
Colecção Norlinda e José Lima sai à rua para aproximar a arte do público
14-12-2017 | por Joana Gomes Costa
Com o objectivo de promover o Núcleo de Arte da Oliva e aproximar a população à arte contemporânea, a Colecção Norlinda e José Lima vai sair à rua. O arranque do projecto intitulado «Colecção Norlinda e José Lima para a Cidade» deu-se esta semana, com a instalação de uma arrojada peça de arte no átrio da entrada do edifício da Câmara Municipal de S. João da Madeira.
Estatísticas

668 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Foi instalada no átrio da Câmara Municipal de S. João da Madeira uma arrojada peça de arte – intitulada «Courtesy Cow» da autoria de Susan Norrie – pertencente à Colecção Norlinda e José Lima.
“Queremos trazer a Colecção para a rua, para os espaços públicos e escolas”, explicou o presidente da autarquia, Jorge Sequeira, no “momento artístico” que marcou, no final da tarde da passada segunda-feira, o arranque deste projecto que pretende “provocar as pessoas e recordar da existência da Colecção Norlinda e José Lima”, promovendo também o Núcleo de Arte da Oliva Creative Factory.
O autarca sublinhou o facto de termos em S. João da Madeira “uma das mais importantes colecções de arte contemporânea de Portugal”, pelo que é necessário “provocar o gosto, interesse e curiosidade”, convidando as pessoas a visitar o Núcleo de Arte.
O projecto intitulado «Colecção Norlinda e José Lima para a Cidade» será, nas palavras de Jorge Sequeira, “mais vasto e ambicioso”, procurando levar algumas das peças desta colecção “outros espaços públicos da cidade”.
O coleccionador sanjoanense José Lima manifestou a sua satisfação, partilhando que fazer a colecção sair à rua e aproximar-se das pessoas era um objectivo antigo seu, garantindo que foi “de braços abertos” que recebeu a vontade do presidente da Câmara em que “a Colecção fosse visível”.
José Lima considera que “80 por cento das pessoas não sabe que a Colecção existe”. Sublinhando que esta “não é uma crítica, mas a exposição dos factos”, o coleccionador diz que queria que “S. João da Madeira tivesse conhecimento” do espólio que foi reunindo ao longo de vários anos.
“A Câmara está muito interessada nisto, vamos ver se é desta vez que damos o salto e a colecção é conhecida”, disse, reafirmando que, no passado, “a divulgação não foi feita”. José Lima deixou o anseio de “daqui a um ou dois anos se possa dizer que S. João da Madeira tem e conhece a Colecção”.
Andreia Magalhães, directora do Núcleo da Arte da Oliva, avançou que o projecto «Colecção Norlinda e José Lima para a Cidade» será desenvolvido a partir de Março de 2018, considerando que levar a colecção à rua será “um teste à generosidade dos coleccionadores, mas também à nossa capacidade de preservar o património artístico”. A responsável acredita que aproximar a arte das populações, levando-a aos espaços públicos, permite “a melhoria da vida dos que frequentam estes locais”.
A escultura «Courtesy Cow», de 1998, é da autoria de Susan Norrie, tendo integrado o projecto «As Vacas Loucas de São Lourenço». Esta peça é, segundo Andreia Magalhães, “anterior às mais conhecidas” peças do projecto «Cow Parade». Uma “obra imponente, colorida e que vai melhorar o átrio da Câmara e pôr as pessoas a falar de arte”.

Comentários
Anónimo | 16-12-2017 22:59 ARTE???
Uma vaca de plástico fabricada em série, pintada de modo amaricado não é arte. O novo ciclo político marca mais uma perda de tempo.
A vaca do senhor Lima não dá leite e o município continua a ser uma bela vaca leiteira para ele.

Comentar

Anónimo