Questões da nossa Cidade - DCCLI
07-12-2017 | por Adé
Estatísticas

1333 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

I - Eleição do presidente da concelhia socialista local
Sabe-se já que haverá, no início de 2018,  eleições internas para se eleger o próximo presidente da concelhia são-joanense do Partido Socialista. E, em princípio, haverá no mínimo dois candidatos, sendo um deles, ao que é suposto,  o actual presidente da referida concelhia, o Dr. Rodolfo Andrade, e um ex-dirigente socialista, com experiência do cargo e prestigiado entre os militantes e simpatizantes, cujo nome não estou, por agora, autorizado a divulgar.
O facto de haver dois ou mais candidatos a concorrer para a mencionada eleição, é motivo de regozijo para os militantes e simpatizantes socialistas. É que numa eleição com mais de um candidato,  o vencedor sairá dela muito mais legitimado do que um vencedor de candidatura única, que pode vencer a eleição com apenas o seu próprio voto. É verdade!
O Partido Socialista terá, supostamente, aprendido nestes longos 30 anos em que esteve na oposição da política local, que será necessário ter uma concelhia legitimada, fortalecida  e ciente do seu papel.  Que saiba fazer política partidária, necessária para motivar e aumentar o número de militantes, de forma a que se sintam úteis com a sua participação nos actos mais relevantes da concelhia. Sem essa política de proximidade aos militantes e simpatizantes, vai-se continuar a assistir a falta deles nos  actos mais importantes do partido a nível local
Se a concelhia não aproveita o momento para unir os desunidos em redor do partido, para consolidar a sua actual posição política local, então é sinal de que o trabalho estará a ser mal conduzido por quem tem a responsabilidade de trabalhar em prol dessa união!

II - Os novos doutores da Junta de Freguesia
Do novo executivo da Junta de Freguesia, liderada pela mesma presidente, Dr.ª Helena Couto, permanecerão apenas dois dos mais destacados membros do executivo anterior, o Eng. Renato Santos e o estudante universitário Pedro Teixeira. Entraram para este novo executivo mais três figuras e, ao que sei, todos eles com licenciaturas ou próximas disso.
Espera-se que os novos membros tenham aceite as tarefas para que foram eleitos, cientes de que terão que estar presentes nas reuniões e tarefas distribuídas, sem que haja impedimentos por razões escolares ou profissionais que limitem as respectivas prestações no novo executivo da Junta de Freguesia. Porque seria de todo incompreensível que agora, depois de eleitos, viessem dizer que tinham dificuldades em estarem presentes nas reuniões periódicas por impedimentos escolares ou profissionais fora da nossa cidade. Aliás, isto poria em causa até o critério de escolha de quem fez a lista eleita, sem ter em conta a total disponibilidade para o exercício dos cargos!
Com esta nova moldura política que se assiste na cidade, em que a mesma cor política dirige a Junta e a Câmara, espera-se que as tais valências e competências que a Lei prevê que sejam passadas para a esfera da Junta de Freguesia e que o anterior executivo do PSD nada fez nesse sentido, se faça agora. E, depois, restará à Junta de Freguesia dar as devidas respostas a essas novas incumbências. E também as incumbências anteriores, a começar pelo Parque da N.ª Sr.ª dos Milagres, de que muitos utentes se queixam!

III - A iluminação natalícia dos bairros sociais
Na 2.ª feira, dia 4 de Dezembro, saí, enfrentando o enorme frio que se sentia, para percorrer a pé os bairros sociais a poente e a sul da cidade, para ver os efeitos da prometida iluminação natalícia tida como uma inovação do novo executivo municipal. E comecei pela Rua do Poder Local. Uma imitação de árvore de Natal com luzes prateadas colocada numa área verde que faz de separador central. E como no local há uma série de luzes nas varandas e janelas de alguns apartamentos, o efeito tornou-se visivelmente agradável e diferenciado dos outros lugares por mim visitados.
Na Praça da República (Fundo de Vila), o que lá se fez é pobre demais para se levar a sério a propaganda da dita “inovação”! O mesmo se passa no bairro do Orreiro! Aproveitando uma pequena estrutura na Praça da República e no Parque Infantil (?) do Orreiro, foram colocadas algumas lâmpadas prateadas e... foi realizada a “inovação”!
Mais valia estar quieto e ninguém iria reclamar por coisa nenhuma! Assim, ficamos a pensar...para que foi isto? Ou se faz ou não se faz! Agora, aquilo? Sinceramente! Foram mais imponentes com os cartazes antes das eleições!!!
Reparei também que a avenida Dr. Renato Araújo foi iluminada e enfeitada como das outras vezes. Isto é, apenas até à rotunda do Hospital. Daí para a frente, é só escuridão, pois a iluminação pública naquele troço da avenida mais emblemática da cidade está totalmente coberta pelos galhos das árvores! Não fossem as luzes do comércio de um lado e da bomba de combustível do outro lado e teríamos que andar com lanternas na mão para irmos até  ao 8ª Avenida!
Mas eu não quero ser de todo injusto para com o executivo do presidente, Dr. Jorge Sequeira, e vou dar o benefício da dúvida. Parto do princípio de que o contrato para a iluminação da cidade nesta fase de Festas Natalícias estivesse já concluído antes da sua tomada de posse. E, se assim foi, está desculpado por esta decepção relativamente à iluminação da cidade!
E, já agora, eu que fui e sou muito crítico em relação às muitas más decisões do Dr. Castro Almeida, enquanto presidente do nosso município, reconheço que, no seu primeiro mandato, fomos extraordinariamente beneficiários com períodos de Festas Natalícias, que ainda me fazem saudades! Recordo-me - para além da excelente iluminação dos principais troços - do ringue de patinagem no gelo, do Presépio cujas personagens eram reais e os três reis magos eram brancos (discriminação !!!!!!), bem como as lindissímas construções na areia feitas na garagem do sr. Edmundo, na Rua do Dourado! Foram natais em que a cidade se encheu de vizinhos forasteiros para verem as luzes da nossa cidade! Depois disso... tem sido a baixar até chegarmos a esta dita “inovação” dos bairros sociais!!!!

IV - O WC da capela mortuária da Igreja
Há muito que se vinha a criticar o porquê de estar sempre fechado o WC junto à capela mortuária da igreja, que deveria ser utilizada pelos familiares dos defuntos e pelas pessoas que ali iam dar os seus pêsames e ficam até final das cerimónias fúnebres.
Finalmente, alguém da Câmara - provavelmente o encarregado dos cemitérios -, resolveu o problema, ordenando que o coveiro indicado para fazer os funerais nos cemitérios n.ºs 1 e 2, abra ele o WC e o feche no final das cerimónias. Menos um problema que apoquentava a população.      

Comentários
Anónimo | 07-12-2017 15:05 opiniões que valorizo
Conforme, o título diz, existem opiniões que valorizo e nas quais me revejo,É o caso do Sr. Adé. Acabo por reflectir e considero que ainda bem que o Regional apesar das mudanças ocorridas o mantém como cronista. Parabéns ao Regional. E a título de curiosidade não vislumbro nenhum eleito local com a preocupação pela cidade que o Sr. Adé demonstra nas suas cronicas semanais. No entanto ressalvo o facto do Sr . Adé não saber como os partidos funcionam na cidade, exceptuando o PSD cujos 1000 militantes na concelhia são conhecidos, os outros partidos são fechados, porque são feudos para prestigio e notoriedade de alguns. Quotas são pagas sempre que convém obter um voto, sempre que está em questão o futuro politico de alguém. Residindo na cidade à alguns anos, nunca tive conhecimento de uma iniciativa partidária pública com o fito de as ideias pragmáticas dos partidos serem divulgadas..(estranho). Somos pequenos, uns meros 8 KM, Milheirós não passa de uma miragem. para enganar incautos, temos valores politicos no panorama politico nacional, que até se destacam, mas continuaremos "pequenos" em mentalidades e facilmente manobráveis por uns ambiciosos políticos que vão jogando conforme as marés. Não tenha ilusões Sr. Adé, O PS é e vai continuar um feudo só de alguns em SJM, de preferêencia de quem sempre diz amém e nunca tem opinião própria e que ao longo de 40 anos só soube andar a reboque das ideias da direita.

Comentar

Anónimo