Banco Local de Voluntariado lança campanha para angariação de voluntários
E tu, queres ser voluntário(a)?
07-12-2017 | por Joana Gomes Costa
«E tu, queres ser voluntário(a)?». É esta a pergunta, directa e sem rodeios, que se pode ler nos cartazes espalhados pela cidade, no âmbito da campanha lançada pelo Banco Local de Voluntariado de S. João da Madeira, a propósito do Dia Internacional do Voluntariado que se comemorou a 5 de Dezembro.
Estatísticas

199 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Além do desafio lançado a quem queira abraçar a causa do voluntariado, a campanha do Banco Local de Voluntariado (BLV) de S. João da Madeira surgiu também como “forma de reconhecimento” aos cerca de 80 voluntários que, ao longo do ano, contribuem com o seu tempo e dedicação a diversas causas, respondendo com um sim e um sorriso disponível a cada solicitação.
A campanha «E tu, queres ser voluntário(a)» foi lançada ainda como forma de comemorar o Dia Internacional do Voluntariado que se comemorou no passado dia 5 de Dezembro, data em que foi inaugurada uma exposição, no centro comercial 8ª Avenida, centrada nas fotografias que compõem a campanha. Pela exposição vão passar, de forma rotativa, todas as fotografias da campanha, que estão já nas ruas da cidade de S. João da Madeira, em mupis cedidos pela Câmara Municipal.
A escolha dos voluntários retratados baseou-se nos que “participaram de forma mais activa” mais recentemente, como explicou Carlos Silva, director técnico da Associação de Jovens Ecos Urbanos (entidade promotora do BLV), na inauguração da exposição, um momento “informal” que contou com a presença de grande parte daqueles que dão rosto à campanha, que são identificados apelas pelo primeiro nome, «como forma de reconhecimento a todos os Pedros, Vírginias, Veras, Jorges..., que são voluntário(a)s».
Rita Pereira, presidente dos Ecos Urbanos, sublinhou que embora esta Associação seja a entidade promotora, o Banco Local de Voluntariado de S. João da Madeira é uma realidade que nasce da cooperação de um total de nove entidades: Ecos Urbanos; CERCI de S. João da Madeira; Santa Casa da Misericórdia: Centro Comunitário Porta Aberta; ACES Aveiro Norte – UCC Aveiro Norte; Associação de Centro de Apoios a Idosos Sanjoanenses (ACAIS); Município de S. João da Madeira – Divisão de Acção Social e Inclusão e Agenda 21 Local; Leigos Boa Nova; Universidade Aberta – CLA de S. João da Madeira; e Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de S. João da Madeira (Centro Humanitário).
Segundo Rita Pereira, o BLV conta com cerca de 80 voluntários, que este ano já participaram em 26 projectos, estando dois em análise. Estes voluntários participaram no último fim-de-semana na recolha de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome, estão na acção de embrulhos da Cruz Vermelha e marcaram presença em muitas outras acções “espalhadas por toda a cidade”.
“Ninguém os vê, mas eles estão sempre lá”, afiança a presidente dos Ecos Urbanos, apontando as instituições que integram o BLV como “a força que faz girar o movimento solidário em S. João da Madeira”.

Ser voluntário

O voluntariado é um conjunto de acções de interesse social e comunitário, realizadas de forma desinteressada por pessoas, no âmbito de projectos, programas e outras formas de intervenção ao serviço dos indivíduos, das famílias e da comunidade, desenvolvidos sem fins lucrativos por entidades públicas ou privadas.
Os interessados em integrar o Banco Local de Voluntariado de S. João da Madeira, podem aceder à ficha de inscrição disponível no site da Associação de Jovens Ecos Urbanos (em www.ecosurbanos.pt), que deverá ser remetida via email (voluntariado@ecosurbanos.pt). Mais informações pelos contactos 256 824 532 e 969 849 744, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30.
Todos os interessados são depois contactados de forma a conhecer melhor as motivações e identificar as actividades/projectos que mais se enquadram para uma melhor prática de voluntariado, responsável e de compromisso.

 

O voluntário Pedro
“Dar de mim aos outros”

Pedro Oliveira, 59 anos, é um dos rostos desta campanha. É voluntário há cerca de dez anos e tem vindo a participar em diversas iniciativas, a mais recente a recolha alimentar do último fim-de-semana.
“Ser voluntário é bom”, confessa, partilhando que se sente “mais completo”.
Identificado no cartaz da campanha apenas como Pedro, tal como todos os outros voluntários retratados, confessa que encara o voluntariado como “dar de mim aos outros”.



Na campanha do Banco Alimentar Contra a Fome
Angariadas 8 toneladas de alimentos

Em S. João da Madeira, a campanha do Banco Alimentar Contra a Fome recolheu, no passado fim-de-semana, cerca de 8 toneladas de alimentos.
Esta campanha nacional decorreu sob o mote «É bom saber que ainda há desejos que podemos tornar realidade», tendo-se estendida a mais de 2 mil hiper e supermercados a nível nacional, contabilizando mais de 40 mil voluntários que estiveram ao serviço dos 21 Bancos Alimentares de todo o país. No total, são 2645 as instituições apoiadas, através das quais os bens agora recolhidos vão chegar a cerca de 420 mil pessoas.
Uma onda de solidariedade que, a nível nacional, permitiu reunir mais de 2 200 toneladas de alimentos.
Contribuindo com cerca de 8 toneladas, S. João da Madeira viu significativamente reforçada a generosidade face à campanha do ano passado.
A campanha prolonga-se até 10 de Dezembro no canal online (em alimentestaideia.pt) e com vales disponíveis em supermercados e nos postos de combustível da BP.


 

Comentários
Anónimo | 07-12-2017 15:10 Dispenso
Dispenso ser voluntário nesse Banco,nunca funcionou nem vai funcionar, porque certas associações só servem mesmo para carreiristas políticos assumirem cargos de presidentes e na Direcção, para ficarem conhecidos na sociedade civil, Trabalhar no terreno e colaborar nunca o fizeram. Viva a hipocrisia social e solidária.

Comentar

Anónimo