Secretário de Estado, Dr. João Costa, na escola Oliveira Júnior
07-12-2017 | por Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior
Estatísticas

442 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

No dia 29 de novembro, o dr. João Costa, secretário de Estado da Educação, visitou, a convite, a Escola Oliveira Júnior.
O acolhimento, à entrada, para além da receção feita pelo diretor Mário Coelho, foi realizado pelos alunos do TOJ e constou de uma sumária e simbólica apresentação dos vários projetos de continuidade do agrupamento. Já no hall de entrada, o coro dos alunos do 2º ciclo criou um ambiente musical que culminaria, noutro espaço,  com a atuação da Orquestra Oliveira Júnior e que proporcionou ao secretário de Estado o desabafo “Quem me dera andar nesta escola!”.
Porque o tempo urgia, os diretores dos agrupamentos de escolas da região de entre Douro e Vouga tiveram a oportunidade de reunir com o Secretário de Estado e assim colocar dúvidas, solicitar esclarecimentos, estruturar sugestões a que este respondeu, de forma pertinente, ciente dos desafios e constrangimentos por que passam as escolas.
Seguiu-se um momento de homenagem ao visitante, no Jardim dos Poetas, com uma fração alusiva ao escritor da sua preferência e uma pequena visita guiada a alguns espaços da escola.
O almoço aconteceu no contexto quotidiano, na cantina escolar, partilhando-se a ementa e o ambiente de convívio com diretores, docentes e alunos.
A palestra que abriu a tarde foi iniciada pelo diretor do agrupamento que, de novo, deu as boas vindas ao secretário de Estado e aos presentes e salientou que partilha das ideias e dos objetivos para a escola de futuro, a escola que desejamos, veiculadas pelo dr. João Costa ao longo do exercício do seu cargo.
Nunca abandonando o seu sentido de humor e de oportunidade, o secretário de Estado enquadrou o sistema educativo português no contexto europeu, explicando como é acompanhado e elogiado no estrangeiro. Explicitou as linhas gerais da política educativa, destacando a importância e a função da escola no nivelamento de desigualdades sociais e económicas e assentou o seu  projeto educativo, que será o das escolas em geral, em três pilares: conhecimento, competências e felicidade. Não se cansou de vincar que o professor é um agente de desenvolvimento curricular das competências dos alunos.
Os compromissos agendados noutros espaços foram o único limite para o término desta conversa que todos os presentes constataram poder acontecer horas a fio de forma, bilateralmente, incansável.


    

Comentar

Anónimo