O incidente aconteceu junto ao Largo S. João
Homem de 33 anos agredido com pedra na cabeça
29-11-2017 | por António Gomes Costa
Um homem ficou ferido na cabeça, depois de um desconhecido o ter agredido com uma pedra na cabeça. O incidente aconteceu na Rua Alão de Morais, na última semana. O agredido procura nas redes sociais o condutor de um veículo que passava no local no sentido de o ajudar a identificar o agressor. Os motivos do ataque são para já desconhecidos.
Estatísticas

1732 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Um homem de 33 anos de idade, residente em S. João da Madeira, ficou ferido, após ter sido agredido na cabeça com uma pedra, cerca das 21:30 horas, do passado dia 19, quando passava a pé pela Rua Alão de Largo Morais, junto ao Largo de São João. ”Não sei de onde apareceu o indivíduo. Só me apercebi da sua presença quando me bateu com força, com uma pedra na cabeça”, refere Ricardo Silva.
O agredido, afirmou à nossa reportagem, que a única explicação que encontra para o sucedido é que poderá ter sido uma tentativa de assalto. “Não sou pessoa de me meter em confusões. Vinha calmamente do café e ele apareceu das escadas do jardim sem eu me aperceber”.
Na sua opinião o incidente só não teve consequências mais graves, uma vez que “nesse momento apareceu uma viatura ligeira SEAT Ibiza preto” que terá “assustado o agressor que, imediatamente, se colocou em fuga”, enfatiza Ricardo.
Apesar dos ferimentos, conseguiu pedir ajuda à PSP e aos Bombeiros que “rapidamente compareceram no local”. Quando à pedra que o agressor terá utilizado, disse-nos que a mesma terá sido “projectada”, pois a mesma não ficou no local. “Só sei que tinha muita areia, pois ao verificarem o hematoma que eu tinha na nuca”, uma vez que ao ser assistido pelos Bombeiros de S. João da Madeira foi transportado para Hospital S. Sebastião, em Santa Maria da Feira, estes “verificaram isso mesmo”.
Ricardo Silva está a apelar nas redes sociais para que esta informação seja partilhada para tentar localizar o condutor do veículo que passou, para que este o possa ajudar a identificar o agressor. “Viu certamente a cara dele pois passou na sua frente a correr. Eu não consegui ver-lhe o rosto pois, além de estar escuro, fiquei completamente desorientado, com as dores que estava a sentir”, assume.
Segundo este sanjoanense, o agressor usava uma “calça desportiva cinza claro e uma camisola escura. Teria cerca de 30 anos e tinha estatura média”. Além de tudo isto Ricardo Silva quer alertar a população para possíveis “ataques ou roubos” de alguém que “anda à solta pela cidade”.
A vítima foi examinada por peritos do Instituto de Medicina Legal do Hospital feirense na última quinta-feira, dia 23.
O caso foi entregue ao Ministério Público.

Comentar

Anónimo