Ex-comandante da esquadra da PSP de S. João da Madeira
Francisco Bagina morreu aos 60 anos
30-11-2017 | por António Gomes Costa
Morreu, aos 60 anos, Francisco Bagina, antigo comandante da Esquadra da PSP de S. João da Madeira e responsável pela sua inauguração em 1994. Era actualmente inspector nacional da PSP e quem o conhece garante que deixará uma marca na história da Polícia.
Estatísticas

454 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

Faleceu, na última sexta-feira, dia 24, Francisco Bagina, ex-comandante (2001 a 2008) da esquadra da PSP de S. João da Madeira, vítima de doença prolongada.
A notícia do seu falecimento foi recebida com grande consternação por ser uma figura “admirada e respeitada” nos meios policiais e por muitos amigos.
Rosa Maria Gomes, comissário da esquadra de S. João da Madeira, revelou-nos que o antigo comandante da esquadra sanjoanense era um “excelente profissional, uma pessoa muito humana, correcta” e que deixará certamente uma marca na história da polícia.
Lembra que foi Francisco Bagina que inaugurou as actuais instalações da esquadra da PSP de S. João da Madeira, “em 1994”. Com a sua partida, a comissário anuncia que “ficará um vazio na história da PSP pelo trabalho que desenvolveu”, principalmente para quem “teve o prazer de colaborar com ele”. Por isso, “irei recordá-lo com saudade”.
Francisco Bagina era actualmente inspector nacional da PSP. Foi responsável pela coordenação da investigação criminal nacional e desempenhou funções também de comandante no Comando Metropolitano do Porto.
Era licenciado em Ciências Policiais, licenciado em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, participou em vários cursos de Direcção e Estratégia Policial e era Auditor de Defesa Nacional. Alberto Souto, antigo presidente da Câmara Municipal de Aveiro, revelou nas redes sociais que Francisco Bagina «era da minha colheita. (…). Treinamos remo juntos, ele com muito mais resistência, claro, cruzei-me depois com ele, já fardado e comandante, comissário brilhante e respeitado por todos os colegas e entidades, que admiravam as suas qualidades humanas e de chefia. Foi um profissional competentíssimo que muito serviu Aveiro. Íntegro e justo. Obrigado, Francisco. Adeus, amigo», escreveu o ex-autarca.
Francisco António Carrilho Bagina tinha 60 anos.

Comentar

Anónimo