Liga de Futebol Inatel - Grupo A
Jogo ao ritmo de treino
30-11-2017

Barraca
Estatísticas

492 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

ADRAV, 6 - Nariz, 0

Adrav: Hugo Tavares (Miguel 65’), Rúben (Talhas 55’), Miguel, Rocha (Hector 40’), Renato, Bola, Caio (Joel 60’), André, Yorda (Barraca 40’), Canelas (Fábio Anjos 40’), Ricardo (Hélder 60’). Treinador: Carlitos
Tendo em vista a tabela classificativa, o adversário, e tendo em conta a qualidade do plantel da ADRAV, Carlitos optou por dar oportunidade a atletas com menos minutos de jogo. E, logo após o começo de jogo, se começou a dissipar algumas dúvidas relativamente ao seu desfecho. Talvez por sentir essas facilidades, a equipa da ADRAV realizou uma péssima 1.ª parte; já o adversário optava só por destruir e só chegava à baliza de Hugo Tavares através de chutão para a frente. Já os da casa teimavam em não fazer circulação de bola e em insistir em jogadas com excesso de individualismo, que facilmente eram anuladas pelo adversário. E da 1.ª parte, exceção feita apenas para o golo da ADRAV, Caio foge ao seu adversário e, à entrada da área, num remate rasteiro, mas bem colocado, bateu o guardião forasteiro.
Nada satisfeito com a prestação da equipa, Carlitos deu uma valente reprimenda aos seus atletas e operou três substituições duma só vez. E logo que reatou a 2.ª parte, começou a surtir efeito o peso da reprimenda e das mexidas operadas. Aos 42’, Caio consegue romper entre os centrais e, num remate de génio, fez um bonito chapéu, sem hipóteses de defesa. Aos 44’, foi a vez de Hector, após a marcação de um canto, subir mais alto e cabecear para fazer o terceiro. Com o jogo totalmente dominado, a ADRAV estabilizou e jogava a seu belo prazer, com o adversário a limitar-se a defender, exceção feita num lance onde os forasteiros pediram uma grande penalidade por pertenço derrube na área da ADRAV, mas a equipa de arbitragem mandou jogar.
Já na outra grande área, André desperdiçava uma grande penalidade. Ao manter o mesmo caudal ofensivo, Hugo Barraca, já depois de ver um golo anulado aos 60’, marcou um belo golo de cabeça, cabeceando como mandam as regras, de cima para baixo, enviando a bola para o canto da baliza do Nariz. Aos 65’, novamente Hugo Barraca a fazer o gosto ao pé, quando apareceu muito oportuno ao 1.º poste e rematou em força para fazer o quinto da partida.
Só dava ADRAV, uma vez que os homens do Nariz não encontravam forma de importunar Miguel, que tinha feito a sua estreia na baliza da ADRAV. Entretanto, a Adrav acabaria de fechar o marcador em seis a zero através dum lance individual de André, que com uma arrancada deixou tudo e todos para trás e, à saída do guarda-redes, desviou a bola para o poste mais longe, fixando o resultado final, que ainda poderia ter sido alterado, não fosse a frieza e elasticidade de Miguel ao defender uma grande penalidade perto do apito final.
E assim terminou o jogo, em que o adversário revelou bastantes fragilidades, fragilidades que poderiam ser mais bem aproveitadas pela ADRAV, não fosse a péssima primeira parte que realizou.
No próximo sábado, vamos ter Taça e mais uma vez a ADRAV joga fora de portas frente à equipa do Vale.  
   
A figura do jogo
 Hugo Barraca


Após um dos piores momentos da sua vida, fez questão de seguir em frente e, com um sentimento de dor, decidiu jogar e marcar dois belos golos, apontando para uma estrela no céu, que jamais deixará de brilhar no seu coração.
Força, Hugo Barraca!

Comentar

Anónimo