Reversejar
23-11-2017 | por F.S.L.
Estatísticas

457 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

O erro de errar


Elemento de “errância”
No nosso quotidiano –
Errar sempre na observância
Que o erro ensina – é humano.

Porque não errar sómente
Enquanto cá se viver?
Errar sempre, sempre e sempre,
Torná-lo razão de ser!

Fazer do erro nossa sina,
Errar uma e muitas vezes!
Pois se a vida nos ensina
Só com erros e revezes!

Tempo de erros? Não passou,
Cá se mantém para se errar;
O Criador ordenou –
O homem só aprende, a enganar !

E se Deus mandou pecar,
Ao aluno que criou,
Algo deixou no mandar
Uma ilação que inventou?

O homem, para viver,
Criou quanto mecanismo,
Um deles foi o de crer
Em erros com o humanismo.

Tem lição que não se aprende,
E julga ter aprendido,
E repete-o porque entende
Que dele perdeu o sentido.

O homem, erro constante,
Nunca aprenderá a lição,
Erra e logo num instante
Volta a errar, perde a razão.

Pois errar é a sua sina
De pecar em espiral,
Quanto mais ele domina,
Mais erra, que é natural.

Na sua mente confusa
Flutua o erro ao de leve,
Em vagas que o conduza
A tudo que ele não deve.
 

Comentar

Anónimo