Dias 17 e 18 de Novembro, na Torre da Oliva
S. João da Madeira acolhe simpósio internacional de cinema
09-11-2017 | por Joana Gomes Costa
A Torre da Oliva, em S. João da Madeira, vai receber, nos dias 17 e 18 de Novembro, o IV Sim­pó­sio Inter­na­ci­o­nal Fusões no Cinema, organizado pelo fes­ti­val «Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês» e pela Uni­dade de Desen­vol­vi­mento dos Cen­tros Locais de Apren­di­za­gem da Uni­ver­si­dade Aberta, contando com o apoio da Câmara Municipal. A relação entre o cinema e a educação será o tema central neste evento, que contará com a participação de docen­tes, inves­ti­ga­do­res, ora­do­res con­vi­da­dos, espe­ci­a­lis­tas e artis­tas de dife­ren­tes áreas, alguns de renome internacional.
Estatísticas

232 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

Na conferência de imprensa de apresentação do Simpósio, que decorreu esta terça-feira, Cátia Lemos, coordenadora do Centro Local de Aprendizagem da Universidade Aberta (UAb) em S. João da Madeira, explicou que este evento surge na sequência da sessão de formação relacionada com o Cinema realizada nesta cidade em Fevereiro e que foi “muito concorrida”.
António Moreira, Coor­de­na­dor Exe­cu­tivo da Uni­dade de Desen­vol­vi­mento dos Cen­tros Locais de Apren­di­za­gem da UAb, sublinhou que a realização desta quarta edição do Simpósio em S. João da Madeira “é reflexo das boas relações entre a Universidade Aberta, a Câmara Municipal” e também os parceiros dos «Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês», sedeados em Coimbra.
O Simpósio foi criado já numa lógica de procurar “fugir dos grandes centros urbanos”, pelo que as duas primeiras edições decorreram em Coimbra, o ano passado foi deslocalizado para Leiria e chega agora a S. João da Madeira, sempre com o apoio dos centros locais de aprendizagem da UAb. A escolha geográfica está também relacionada com a grande “implementação do cinema”, com muitas escolas do distrito de Aveiro a aderirem ao Plano Nacional de Cinema, programa de literacia para o cinema e de divulgação de obras cinematográficas nacionais junto do público escolar, precisamente porque a relação entre o cinema e a educação é um dos temas centrais desta edição do Sim­pó­sio Inter­na­ci­o­nal Fusões no Cinema.
“Todos os painéis terão uma relação muito estreita com a educação”, afiançou António Moreira, sublinhando a presença de especialistas nacionais e internacionais com trabalho reconhecido na área da relação entre o cinema e a educação.
O programa conta com a intervenção de docen­tes, inves­ti­ga­do­res, ora­do­res con­vi­da­dos, espe­ci­a­lis­tas e artis­tas de dife­ren­tes áreas, que anali­sam as actu­ais prá­ti­cas artís­ti­cas e edu­ca­ti­vas, os novos papéis dos dife­ren­tes agen­tes envol­vi­dos na dinâ­mica cri­a­tiva e ope­ra­tiva da arte, da edu­ca­ção e da cul­tura.
Nas palavras de António Moreira, o Sim­pó­sio Fusões no Cinema procura precisamente “fundir o cinema com outras formas de expressão” e, nesta edição em particular, mostrar como “o cinema pode invadir as salas de aula e não ser visto apenas como algo ligado à área do entretenimento, mas também à área educativa”.
O programa do Simpósio está constituído em “cerca dez horas presenciais de discussão”, que serão complementadas com “uma semana em ambiente de sala de aula virtual”, onde os participantes terão oportunidade de debater estas questões com especialistas internacionais.
Para além da realização de con­fe­rên­cias, o programa desta quarta edição do Sim­pó­sio Inter­na­ci­o­nal Fusões no Cinema inclui a exi­bi­ção de cur­tas-metra­gens, contando para tal com a parceria do Cine Clube de Arouca e do Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela (CineEco).
Suzana Menezes, chefe da Divisão da Cultura da Câmara Municipal de S. João da Madeira, agradeceu a escolha por S. João da Madeira para a realização do Simpósio, sublinhando a aposta do município na estratégia de ver a cultura como um “lugar de reflexão e questionamento”, no sentido de “capacitar a comunidade para consumos culturais cada vez mais exigentes”.
António Moreira concorda com esta visão, defendendo que devemos encarar a “educação e a cultura” como “dois bastiões daquilo que é uma sociedade democrática”, pelo o tema central deste Simpósio procura “levar a cultura e a arte para a escola” e vice-versa. “Ao ir ao cinema posso estar a aprender e na escola posso aprender com o cinema”, afirmou, apontando esta como a “lógica de construção” do programa do Simpósio.
Acabar com as barreiras e com a ideia pré-formatada de que o cinema não tem nada a ver com a escola, numa perspectiva inclusiva, que pode abranger diversas áreas e temática. Procurar abordar o cinema “como uma metodologia activa que transforma consciências”.

Inscrição gratuita
Com evidente enfoque na relação do cinema com a educação, o Simpósio vai também abordar as linhas da relação do cinema com a arte, tecnologia e televisão.
A inscrição para assistir ao IV Sim­pó­sio Inter­na­ci­o­nal Fusões no Cinema é gratuita, decorrendo via Internet (caminhos.info/simposio) até à data do evento.

Comentar

Anónimo