Futebol
Campeonato de Portugal - Série B - 9.ª jornada
Tal como o resultado o jogo foi equilibrado
09-11-2017 | por Augusto Lopes
Estatísticas

167 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

Sanjoanense, 1 - Amarante, 1


Jogo: Estádio Conde Dias Garcia, em S. João da Madeira
Árbitro: Luís Máximo, auxiliado por Ângelo Correia e Pedro Ribeiro, do C.A. da A.F. de Castelo Branco

Sanjoanense: Cristiano; Castro, Igor, Almeida e Pedro Tavares; Murilo (cap.), Miccoli e Teles; Esteves, Edema e Leo
Ainda utilizados: Andrade por Edema (68’), Prazeres por Leo (72’) e Júlio por Esteves (76’)
Não utilizados: Ivo, Abubu, Rochinha e Ednilson
Treinador: Fernando Pereira

Amarante: Paulo Jorge; Carlos, Dani, Celso (cap.) e Armando; Tiago Silva, Kingsley e Hélder Pedro; Paulo Ayongo, Luisão e Andrézinho
Ainda utilizados: Marquinhos por Hélder Pedro (68’), Nelson por Paulo Ayongo (83’) e Rui Magalhães por Tiago Silva (90’+02’)
Não utilizados: Ricardo, Tiago Nogueira, Gil Pinto e Tiago Marques
Treinador: Pedro Pinto

Marcadores: Murilo (17’ de gp) e Hélder Pedro (65’)
Disciplina: cartões amarelos – Hélder Pedro (41’), Carlos (61’) e Júlio (90’+01’).
Se todos os jogos são de previsão difícil quanto ao resultado final, este era de previsão muito difícil. Lembramos que jogavam duas equipas com o mesmo número de pontos, o mesmo número de vitórias, empates e derrotas e assim fixaram ao fim do jogo no Dias Garcia, única diferença que existia (e existe) é entre golos marcados e sofridos, com vantagem para os alvinegros.
Tal como dizemos em título, o jogo foi muito equilibrado e, acima de tudo, muito tático, as equipas como que esperavam pelo erro do adversário, mas diga-se que o espetáculo futebol até estava a ser agradável, nada por exemplo que se pudesse comparar ao jogo com a Aliança da Gandra, onde nessa altura os alvinegros fizeram uma exibição paupérrima.
Até que surge o primeiro pontapé de canto para a Sanjoanense, marcado do lado esquerdo. Na sequência desse lance de bola parada, um defensor amarantino mete a mão na bola dentro da sua grande área, o árbitro, sem qualquer dúvida, aponta para a marcação do livre da marca dos onze metros. O capitão Murilo, na conversão da grande penalidade, não “tremeu” e com um pontapé forte e colocado envia a redondinha para o lado esquerdo do guardião Paulo Jorge, sem qualquer hipótese de defesa para este.
Poucos minutos depois, mais concretamente três, Teles, em jogada individual, deixou vários adversários para trás, entrou na área e teve o golo nos pés, talvez se deslumbrasse um pouco e, como tal, teve uma pequena fração de temporização, o suficiente para Carlos, em esforço, meter o pé e assim travar a trajetória da bola, que chegou às mãos do guardião do Amarante muito suavemente.
Apesar do golo dos alvinegros e da oportunidade de Teles, os amarantinos tentaram sempre chegar ao empate, procurando e por vezes conseguindo ganhar a “guerra” do meio campo, o equilíbrio continuava a ser a nota dominante. Entretanto, Leo, pelo lado esquerdo, depois de tirar um adversário do caminho, remata forte e cruzado, fazendo a bola sair junto ao poste mais distante.
A melhor oportunidade para o Amarante chegar ao empate, antes do intervalo, foi protagonizada por Luisão. O ponta de lança visitante, posicionado sobre a direita e numa excelente oportunidade para fazer golo, remata por cima do ferro transversal.
Se a Sanjoanense entrou melhor na primeira parte, o Amarante fê-lo na etapa complementar, cedo se viu que os visitantes iriam pressionar mais os alvinegros, para assim alcançarem pelo menos o golo do empate. Primeiro é Hélder Pedro, no minuto 12, numa boa jogada de entendimento, a fazer o remate, mas a bola saiu junto ao poste direito de Cristiano, era o aviso…
… o mesmo Hélder Pedro, passados oito minutos, faz o golo do empate, que, diga-se, pela pressão que estava a ser feita pela equipa do Amarante, era esperado. Bola quase a sair pela linha de fundo, no entanto, Paulo Ayongo acreditou que podia evitar que isso acontecesse, fez o cruzamento para a área e Hélder Pedro, solto de marcação, faz o remate que daria o resultado final do jogo.
Com ambas as equipas a procurarem o golo da vitória, os técnicos procuraram injetar “sangue novo”, fazendo assim as substituições que não tinham sido feitas até aí, mas como já vinha acontecendo, o jogo continuou equilibrado. Mas o minuto 86 tudo poderia modificar, valeu na circunstância a excelente defesa de Cristiano a evitar o golo que Nelson, que tinha entrado três minutos antes, pudesse festejar.

Sábado, dia 11/11 | 15h00
Salgueiros - Sanjoanense
Relato directo e integral na R.R.S. (88.1FM)

Comentar

Anónimo