No topo do Jardim Municipal
Repuxos e lago sem água há vários anos
13-10-2017
Existem há vários anos mas estão inactivos. Vários repuxos e um lago junto ao Jardim Municipal, em S. João da Madeira, estão sem água e com sinais visíveis de total abandono. Uma opção que a Câmara tomou ao que tudo indica para economizar nas despesas correntes.
Estatísticas

541 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Não existe memória de quando terá funcionado pela última vez. No topo do Jardim Municipal, nas traseiras do Edifício Municipal, em S. João da Madeira, existem cerca de 12 repuxos e um lago com cerca de 40 metros de comprimento que se encontram há vários anos inactivos (o que em nada contribuiu para a boa imagem da cidade aos que por ali passam). Estão sem água e com sinais de forte degradação. “Acho que as pessoas já nem reparam e muitas delas nem sabem da existência dos repuxos que se encontram no chão”, diz Luís Oliveira, à saída da Loja do Cidadão, mesmo ali ao lado. Este sanjoanense não se lembra, aos 48 anos, de ver os repuxos em funcionamento e muito menos quando foram construídos. “Pelo aspecto, acho que é uma obra antiga da presidência de Manuel Cambra”, avança, adiantando ainda o “estado” em que o lago e as estruturas no seu interior se encontram, bem como os repuxos fixos no chão de cimento. “São, neste momento, verdadeiros depósitos de lixo”. Este morador entende tratar-se de um espaço de “lazer” que concentra várias pessoas. “É o início de um longo jardim, as pessoas aproveitam a sombra da ramada para ali conversarem e descansarem e, além da junta, temos a loja do cidadão, por onde passam diariamente centenas de pessoas”, lamentando a “falta de vaidade do município quanto a este local”.
No mesmo local encontrámos Hélder Gomes. “Os repuxos do chão não me recordo de os ver a funcionar, mas tenho memória do lago estar limpo e com água e de aqui trazer os meus filhos”. Apesar de viver em Santa Maria da Feira, passa todo o seu dia em S. João da Madeira. “É uma pena. Pois é uma zona muito agradável e, se foi construído, deve estar activo e cuidado”, lembrou.

“Peixes substituídos nos lagos por garrafas de cerveja”

Por seu turno, Luísa Pinho fazia a sua caminhada matinal. “Vivo há pouco mais de um ano cá e utilizo sempre o passeio que envolve o jardim para as caminhadas, mas nunca vi nada com água. O que está em frente ao fórum municipal, apesar de ter água, os peixes foram substituídos nos lagos por várias garrafas de cerveja”, afiança.
Esta moradora, de 54 anos, lamentou, no entanto, a desactivação do lago junto à Loja do Cidadão. “Dava vida a este espaço”, enaltecendo as cores vivas dos azulejos que envolvem as paredes do lago e que têm a assinatura do pintor sanjoanense Vítor Costa, datados de 2001.  
Júlio Pinho, 26 anos, além destes dois casos, referiu-se à famosa “bola mistério” que se encontra a poucos metros do lago. “Felizmente que está em bom estado, tem um aspecto cuidado”, confessando: “eu até lhe acho piada. Não fica ali mal. Mas nunca entendi a sua função e se a mesma foi já foi utilizada e para que fins”, enfatizou. Quanto aos lagos, garante que existem mais. “Temos o do tribunal que há muito é um depósito de lixo” e que ficam todos “junto ao edifício camarário”, ironizou.    
‘O Regional’ conseguiu apurar, junto de fonte do município, que “há muitos anos a Câmara tomou a opção de desligar os repuxos, não tendo havido, desde então, qualquer outra decisão sobre o tema”. Uma outra possibilidade apontada, segundo apurámos, poderá estar no facto dos mesmos terem “gastos mensais elevados”.

Comentários
Anónimo | 13-10-2017 12:55 A manutenção...
"A manutenção do edificado e dos equipamentos" como ouvi dizer o Engenheiro Jorge Cortês é coisa que a Câmara faz mal. Será que a mudança vai melhorar? Vamos esperar!

Comentar

Anónimo