Futebol
Liga de Futebol Inatel - Grupo A
Adrav entra a perder
13-10-2017

Cadete
Estatísticas

119 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

Adrav, 1 - Manhôce, 2

Adrav: Tiago Tavares, Rúben, Cadete, Miguel, Renato (Ricardo Pinho 70’), Tiago Santos, Bola (Pedro Nuno 65’), André Yorda, Joel, Hugo Barraca
Não utilizados: Miguel, Bruno.
Treinador: Carlitos

No passado sábado, iniciou a Liga de Futebol Inatel, com algumas melhorias e uma delas passa por ser a introdução da Taça Inatel disputada a uma só mão e a eliminar.
No que toca ao jogo dentro das quatro linhas, a Adrav, muito condicionada pela não utilização de atletas, entrou em jogo muito ansiosa e nervosa, não conseguindo tomar as rédeas do mesmo. Já a equipa forasteira, não jogando muito melhor, conseguiu chegar ao intervalo a vencer por duas bolas, fruto de lances de bola parada. O primeiro através de uma grande penalidade indiscutível, mas desnecessária, uma vez que Tiago Santos se precipitou na abordagem ao lance. O segundo veio pouco tempo depois, Joel perde a bola em zona proibida e fez falta. Na cobrança, os forasteiros beneficiaram e muito do falhanço do guardião da Adrav, que ao socar a bola colocou nos pés do homem do Manhôce, que só teve que empurrar para golo. E assim se recolheram para descanso.
No regresso das cabines, a Adrav veio disposta a ir atrás do prejuízo. E assim que começou, logo se percebeu que iríamos ter uma segunda parte de sentido único. A Adrav começou a praticar um jogo de boa circulação e mudanças de flanco e a chegar com perigo junto da baliza do Manhôce, o problema é que a bola tardava a entrar na baliza, ora por mérito do guardião forasteiro, ora pelo desacerto dos jogadores da Adrav.
Aos 65’, Carlitos lançou no jogo Pedro Nuno e a partir daí só deu mesmo Adrav, com este a chegar várias vezes à linha de Fundo e a cruzar, só que os seus colegas estavam de pontaria desafinada. Quem não facilitou foi Pedro Nuno e, a dez minutos do fim, desfeiteou mesmo o guardião forasteiro. Após um cruzamento da esquerda, Pedro Nuno, no meio dos centrais, desferiu um potente golpe de cabeça, reduzindo o marcador para a margem mínima.
Com poucos minutos para jogar, a Adrav continuava a acreditar e viu mesmo Hugo Barraca falhar aquilo que parecia ser um golo certo. Mas mesmo no último lance do jogo aconteceu algo de inesperado. Na marcação de um canto, a bola fica perdida na pequena área e quando Miguel se prepara para chutar para golo, é claramente puxado pelas costas, o fiscal de linha levanta a bandeira, mas o juiz da partida de imediato dá por terminada a mesma, sem se certificar do que tinha assinalado o fiscal de linha.
Pelo que fez na 2.ª Parte, a Adrav merecia claramente pelo menos um empate, mas sai sobretudo penalizada pela falta de atitude ao dar 40 minutos de avanço ao adversário.
Próxima semana, a Adrav desloca-se à vila de Arrifana para defrontar a equipa dos Arrifanenses.


A figura do jogo: Cadete
Após algumas épocas nas distritais, Cadete voltou a vestir a camisola da Adrav, demonstrando as capacidades que lhe são reconhecidas. O experiente central esteve em bom plano, tanto a defender como a atacar, quando já completamente esgotado ainda foi buscar forças para avançar no terreno, tentando evitar a derrota da Adrav. Infelizmente a bola teimou em não entrar na baliza.

Comentar

Anónimo