Reacção de Paulo Cavaleiro ao resultado eleitoral
“Respeitamos a vontade democrática dos sanjoanenses”
06-10-2017 | por Joana Gomes Costa
“Respeitamos a vontade democrática dos sanjoanenses”. Foi assim que Paulo Cavaleiro reagiu à vitória do PS na noite eleitoral do passado domingo, assumindo a sua “quota de responsabilidade neste resultado”. Aos vencedores, o candidato da coligação «Maioria por S. João da Madeira» (PSD/CDS) deixou votos de que possam “dar continuidade ao nível de desenvolvimento que a nossa cidade alcançou”, acreditando existirem “condições ímpares na nossa Câmara para que isso aconteça”. “S. João da Madeira merece sempre mais e melhor”, sublinha, garantindo que estará “sempre com a nossa cidade de alma e coração”.
Estatísticas

449 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

A noite eleitoral na sede da candidatura da coligação «Maioria por S. João da Madeira» foi de silêncio enquanto iam chegando os resultados da contagem dos votos.
Paulo Cavaleiro chegou à sede já após a certeza da derrota, falando aos jornalistas pouco tempo depois. Começou por cumprimentar Jorge Sequeira “pela vitória nestas eleições”, para assumir depois a sua “quota de responsabilidade neste resultado”, que reconheceu ter ficado “abaixo” das suas “expectativas”.
O candidato da coligação PSD/CDS fez questão de agradecer a todos os que trabalharam consigo na campanha, “aos candidatos” e “a todos os sanjoanenses que apoiaram este projecto que era diferente daquele que venceu”.
Paulo Cavaleiro terminou a sua intervenção garantido respeitar “a vontade democrática dos sanjoanenses”.
A noite eleitoral na sede da coligação culminou com os aplausos a Paulo Cavaleiro e à equipa que o acompanhou nesta corrida autárquica.
Numa nota publicada na página do Facebook da candidatura, Paulo Cavaleiro refere que “juntos, procurámos dar o nosso melhor e apresentar aos sanjoanenses o que entendemos ser o melhor projecto autárquico para a nossa cidade”. Respeitando a “decisão dos eleitores”, deixa, “a quem venceu as eleições, votos de que possam dar continuidade ao nível de desenvolvimento que a nossa cidade alcançou, sendo hoje um dos melhores municípios do país”. Votos que alargou “a todos os autarcas de todas as forças políticas”.
“Acredito que existem condições ímpares na nossa Câmara para que isso aconteça. S. João da Madeira merece sempre mais e melhor”, refere a nota publicada durante a semana nas redes sociais, onde Paulo Cavaleiro termina garantindo: “pela minha parte, estarei sempre com a nossa cidade de alma e coração”.

“Continuaremos o nosso trabalho em prol da cidade”

João Almeida, porta-voz nacional do CDS e número três na lista da coligação à Câmara, reconheceu que este foi “um mau resultado”.
“O povo votou, fez a sua opção e o projecto que nós apresentámos, de forma clara, não mereceu a confiança maioritária dos sanjoanenses”, afirmou, deixando uma garantia: “dignificaremos os mandatos que nos foram atribuídos, representando todos aqueles que em nós confiaram nos órgãos para os quais fomos eleitos e continuaremos o nosso trabalho em prol da cidade”.
Pedro Ventura, cabeça de lista da coligação à Assembleia Municipal, cumprimentou os vencedores, garantindo que “não é por isto que alguma coisa vai mudar”. “Vou continuar a gostar de S. João da Madeira”, disse, agradecendo a todos que o apoiaram na coligação. “Hoje fazia a mesma coisa e apoiava o Paulo Cavaleiro. Eu continuo a trabalhar e a viver aqui e cada vez gosto mais de S. João da Madeira”, afirmou.
Pedro Ventura garantiu que vai cumprir o mandato de deputado na Assembleia Municipal, dizendo que “os sanjoanenses que votaram na minha candidatura vão continuar a merecer o meu respeito”. “Os sanjoanenses vão contar connosco, para o bom e para o mau. O mau estamos aqui para tornar melhor”, concluiu.
Deolinda Nunes, número um na lista à Assembleia de Freguesia, logo, candidata à presidência da Junta de S. João da Madeira, cumprimentou Helena Couto pela reeleição, sublinhando que esta “foi a escolha que os sanjoanenses fizeram”. “Fiz o meu melhor e continuo disponível para dar o meu melhor”, disse a candidata, agradecendo aos sanjoanenses por a “terem ouvido durante a campanha”.
“A democracia é isto mesmo. Os sanjoanenses votaram, só me resta aceitar a sua decisão e continuar disponível para trabalhar quando e da forma que for preciso”, concluiu Deolinda Nunes.

Comentários
Anónimo | 06-10-2017 18:23 só uma dica
os sanjoanenses não gostam de chicos espertos que se acham. Queria ser presidente à força? Parabéns conseguiu levar o PSD ao chão. Para a proxima Paulo Cavaleiro tem que aprender isto : os fins não justificam os meios. O povo foi sábio.

Comentar

Anónimo