Jorge Sequeira foi eleito presidente da Câmara com 55,37 por cento dos votos
PS vence com maioria nos três órgãos autárquicos
06-10-2017 | por Joana Gomes Costa
Em S. João da Madeira, a noite eleitoral fechou com o pleno do PS que venceu, com maioria absoluta, nos três órgãos autárquicos: Câmara, Assembleia Municipal e Assembleia de Freguesia. Jorge Sequeira foi eleito presidente da Câmara de S. João da Madeira com 55,37 por cento, numa votação histórica, uma vez que o PS não vencia a presidência da Câmara desde 1976. O novo executivo camarário será composto por cinco eleitos do PS, sendo que a coligação «Maioria por S. João» (PSD/CDS) elegeu dois vereadores.
Estatísticas

839 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Com 6148 votos, correspondente a uma votação de 55,37 por cento dos sanjoanenses que foram às urnas no passado domingo, Jorge Sequeira conseguiu o melhor resultado do PS em eleições autárquicas, partido que apenas em 1976 tinha conseguido eleger o presidente da Câmara de S. João da Madeira.
Votação que garante a maioria absoluta ao PS, que elegeu cinco dos sete mandatos que compõem a Câmara Municipal de S. João da Madeira. O presidente Jorge Sequeira será acompanhado pelos vereadores Irene Guimarães, Paula Gaio, José Nuno Vieira e Pedro Silva. Relembre-se que nas eleições intercalares de Janeiro de 2016, em candidatura à altura liderada por Luís Ferreira, o PS obteve uma votação de 39,06 por cento, com 4422 votos, elegendo três vereadores.
O resultado das eleições do passado dia 1 de Outubro ditou a perda de maioria e da presidência da coligação «Maioria por S. João da Madeira» (PSD/CDS), que neste escrutínio alcançou uma votação de 32,23 por cento, com 3579 votos, elegendo dois vereadores, que fecham a composição do executivo camarário: Paulo Cavaleiro e Fátima Roldão. Nas intercalares, em que Ricardo Figueiredo conseguiu a maioria, a coligação havia alcançado 46,27 por cento com 5239 votos.
A CDU, candidatura liderada por Rita Mendes, registou 4,02 por cento dos votos (446 votos), não conseguindo eleger nenhum elemento. Esta votação representa uma descida face às intercalares de 2016, altura em que a CDU, com Jorge Cortez como candidato, obteve 5,33 por cento de votação, com 603 votos.
Fernando Sousa, candidato do Bloco de Esquerda (BE) registou 2,41 por cento (268 votos), o que representa uma ligeira redução face às intercalares, quando obteve 2,57 por cento de votação e 291 votos.
O PAN – Pessoas-Animais-Natureza, que se estreou na corrida autárquica em S. João da Madeira com candidatura de Andrea Domingos, conseguiu 204 votos, o que corresponde a 1,84 por cento dos sanjoanenses que foram às urnas no passado domingo.
Nestas eleições autárquicas, a abstenção foi de 45,01 por cento, ficando assim acima dos 42,5 por cento registada nas intercalares de Janeiro de 2016. Significa este número que, no passado domingo, dos 20 190 eleitores sanjoanenses inscritos, 11 103 exerceram o seu direito de voto.
Nestas eleições registaram-se 297 votos em branco e 161 nulos, representando 2,67 e 1,45 por cento dos votos depositados em urna, respectivamente.
Ao contrário do que ocorreu nos actos eleitorais desde 2001, em que as sondagens publicadas por ‘O Regional’ acertaram sempre no vencedor, os resultados do passado domingo são díspares face a todas as projecções divulgadas.

PS conquista Assembleia e mantém Junta

Na Assembleia Municipal, o PS, que tinha Clara Reis como cabeça de lista a este órgão, conquistou 50,25 por cento dos votos, elegendo 12 mandatos e garantindo assim a maioria no órgão deliberativo do município. A coligação PSD/CDS registou 33,01 por cento, com eleição de oito deputados. Com 6,13 por cento de votação, a CDU vê a sua representatividade na Assembleia reduzida de dois para um mandato. O BE (3,72 por cento) e o PAN (2,95 por cento) não elegeram qualquer elemento.
Relembre-se que, no mandato que agora termina, a Assembleia Municipal contava ainda com dois eleitos pelo Movimento Independente SJM Sempre, que nestas eleições não se apresentaram a votos.
Cenário semelhante registou-se na eleição para a Assembleia de Freguesia, onde o PS, com recandidatura de Helena Couto, consegue a maioria, com votação de 52,44 por cento e a eleição de 11 mandatos. A coligação PSD/CDS registou 33,44 por cento dos votos, elegendo sete elementos. A CDU, com 5,60 por cento de votação, mantém a eleição de um representante neste órgão autárquico, a partir do qual será depois eleito o executivo da Junta de Freguesia de S. João da Madeira. O BE registou 4,27 por cento dos votos, sem conseguir eleger qualquer elemento e o PAN não se apresentou na corrida a este órgão.
No mandato resultante das eleições de 2013, a Assembleia de Freguesia e executivo da Junta contava também com representantes do movimento SJM Sempre.

Comentários
Anónimo | 06-10-2017 18:33 comentário
Eu tinha dito que o dinossauro do cortes tinha que dar o lugar aos novos, quer estar sempre na gamela , foi para onde devia , que tenha juízo ,pois já tem idade.
Quanto ao pan que arranjem uns animais para se entreter pois as pessoas estão acima de tudo.

Quanto ao PS não foi besta foi bestial assim S. João da Madeira já se entende, Camara SJM junta SJM parabéns votei e ganhei .

Comentar

Anónimo