Eleito presidente de câmara com 55,37 % dos votos
Jorge Sequeira com vitória indiscutível em S. João da Madeira
06-10-2017 | por António Gomes Costa
Jorge Sequeira é o novo presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira. O candidato do PS venceu as eleições autárquicas do passado domingo com 55,37 por cento dos votos. Uma viragem do concelho à esquerda, que acontece precisamente 40 anos depois do PS ter perdido a Câmara liderada por Benjamim Valente. “Vamos demonstrar que é possível fazer política de modo diferente”, promete o candidato eleito.
Estatísticas

250 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

“Jorge, Jorge, Jorge” gritava uma sala cheia de gente na sede de campanha do candidato, localizada na Rua da Liberdade, em pleno centro da cidade, enquanto recebia efusivamente o novo presidente da Câmara, Jorge Sequeira, que chegou tranquilamente por volta das 21h00. Num concelho que foi governado pelo PSD nos últimos 16 anos, os números históricos do triunfo eleitoral do Partido Socialista (PS) – acima dos 55 por cento – foram recebidos em entusiasmo e muita emoção pelos apoiantes desta força política.
Os socialistas não escondiam a satisfação da «Nova Visão de Futuro», pois venceram as 18 mesas de voto. Além da Câmara, o PS venceu a Assembleia Municipal e de Freguesia de S. João da Madeira. O novo executivo contará agora com cinco elementos socialistas e apenas dois da coligação «Maioria por S. João da Madeira».
Passavam poucos minutos das 23h00, quando Jorge Sequeira se dirigiu às centenas de pessoas que o aguardavam dentro e no exterior da sede de campanha.
Depois de agradecer a forte mobilização durante a campanha, o voto de confiança dos sanjoanenses e o apoio dos presentes, o novo chefe máximo do executivo sublinhou “que a vitória não é do PS”, mas, sim, da cidade através da vitória do PS. “Vamos demonstrar que é possível fazer política de modo diferente”. Neste âmbito, assegurou que as autárquicas do último domingo, dia 1 de Outubro, são “um dia histórico” e garantiu que “o trabalho e a responsabilidade” do PS “começa agora”.
Jorge Sequeira dedicou esta vitória a Josias Gil e ex-presidente da Assembleia Municipal de S. João da Madeira e figura incontornável do Partido Socialista. Homenagem essa que se estendeu ao Professor João Araújo e a António Pires, “camaradas que não conseguiram ver este dia e que há muito esperavam por ele há muitos anos”, explicou. À medida que a vitória de Jorge Sequeira ia sendo conhecida a nível nacional o novo presidente recebia felicitações de figuras políticas como o Secretário-Geral do Partido Socialista, António Costa, João Paulo Rebelo ou mesmo Maria Manuel Leitão Marques. A vitória de Jorge Sequeira mereceu destaque ainda através de comentários em programas de televisão de figuras como Pedro Santana Lopes ou mesmo Marques Mendes.

 “Vou cumprir os meus compromissos”

À margem do discurso aos jornalistas, Jorge Sequeira garantiu que esta margem tão expressiva de vitória do PS da coligação PSD/CDS representa para o partido e para a cidade, um “momento absolutamente inovador e histórico” e que esta votação dá aos socialistas “a grande responsabilidade de mostrarmos que é possível fazer política de forma diferente e de cumprir o nosso programa”. O jurista, de 44 anos, assume, agora, “demonstrar que é possível ter maioria absoluta e governar sem arrogância, sem prepotência, com humildade e com respeito por todos”. Jorge Sequeira assumiu que “sentiu durante a campanha a vontade da mudança” e que os sanjoanenses podem esperar do novo executivo “tudo aquilo que foi prometido e que está escrito no programa eleitoral” e anunciou: “os funcionários da Câmara vão ser meus colegas de trabalho, todas as associações vão ser envolvidas, vou participar nos conselhos gerais dos agrupamentos escolares e vou trabalhar em rede na acção social. Vou cumprir todos os meus compromissos”, concluiu.
Pedro Nuno Santos, actualmente secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, salientou aos jornalistas a vitória “saborosa do PS e dos sanjoanenses” enaltecendo que os partidos “têm que respeitar o povo” O mandatário de campanha assumiu que a sua maior ambição é que Jorge Sequeira “consiga transformar S. João da Madeira na melhor cidade do país para se viver”.
Helena Couto, presidente da Junta de Freguesia, viu o seu mandato ser reeleito. “É bom sentir que tivemos o voto de aprovação dos sanjoanenses”, comparando a noite da vitória “histórica” do PS, como “uma noite de 25 de Abril em S. João da Madeira”, uma vez que: “ter o PS a governar nos três órgãos era uma necessidade nossa de há muitos anos”. A autarca não tem dúvidas que a gestão agora será diferente. “Vais ser possível realizar um trabalho mais profundo já que temos o apoio da Câmara, o que nunca tivemos” na anterior governação PSD.

“Sanjoanenses queriam a mudança”

Clara Reis, eleita a nova presidente da Assembleia Municipal e ex-professora do novo presidente da Câmara, enaltece a vitória do PS, garantindo que S. João da Madeira “ficou a ganhar” com a preferência dos sanjoanenses do PS. “É uma equipa muito forte, apostada em querer mudar a cidade para muito melhor”. Clara Reis nunca teve dúvidas quanto à vitória, mas “nunca que a mesma fosse tão expressiva”. Como prioridades, espera “mudar a Assembleia Municipal”, para que as pessoas “aprendam que têm o dever e a obrigação de participar de forma cívica na sua cidade”, assumiu.
Irene Guimarães, número dois da lista à Câmara, pelo PS, enalteceu que a campanha foi “trabalhosa”, mas “honrada por princípios da democracia”, valores que a docente reconhece no novo presidente de Câmara. Quanto ao resultado destas eleições reconhece que os sanjoanenses “queriam a mudança”. Com este seu novo desafio, assume que a população pode esperar aquilo que sempre colocou em todos os seus desafios. “Muito empenho, trabalho, dedicação e princípios”, rematou.
Por seu turno, Paula Gaio, que se estreia nas andanças políticas, em número três da lista assumiu aos jornalistas que se tratou de um “trajecto muito difícil”, uma vez que na abordagem com a população a evidência da mudança foi muito sentida. “Queriam uma cidade diferente, com um projecto arrojado”. Uma vez eleita vereadora, e não escondendo “o entusiasmo pela vitória”, assumiu converter o mesmo em “empenho” e trabalho de equipa.
José Vieira foi o nome escolhido para ocupar o quarto lugar na lista do partido nestas eleições. ”Foi um sinal forte dos sanjoanenses que pretendiam a mudança, pois eram as mesmas pessoas há muitos anos”, considerando que a vida tem os seus “ciclos”, e a mudança é na sua opinião positiva. O novo vereador promete “rigor, competência e dedicação máxima” no cargo que agora assumirá.
Pedro Silva (Perrinha) não escondeu a surpresa ao ser eleito em quinto lugar. Apesar de ser uma experiência nova, “não vou fugir ao trabalho e a este desafio”. Com actividade profissional ligada ao desporto, saúde pública e na educação, estas podem ser algumas das áreas onde o novo vereador se sentirá mais confortável, frisou.
Para Rodolfo Andrade, líder da concelhia do PS, em S. João da Madeira, reconhece que “esta votação demonstrou o quanto os sanjoanenses queriam a mudança”. Com a eleição dos três órgãos autárquicos, o líder do partido acredita que será possível “um trabalho árduo, abertura de diálogo e à cooperação com os outros partidos”. Quanto ao momento “alto” que o PS atravessa, a nível nacional, e a influência que a mesma poderá ter tido nas eleições em S. João da Madeira, assume que “tudo ajudou para o sucesso”. Enquanto líder, não escondeu a “satisfação e o orgulho” na votação, pois “fez-se história na cidade”, rematando que isto prova que: “todo o trabalho que o PS fez depois das intercalares foi bem feito”.

“Esta vitória é de todos”

Entre várias figuras marcantes do PS de S. João da Madeira destacava-se João Carlos Silva, ex-secretário de Estado das Finanças e ex-presidente da RTP. Em declarações à nossa reportagem, realçou que “esta vitória é de todos” e não só do PS, descrevendo o novo autarca como uma pessoa “abrangente e que irá aproveitar tudo o que existe de bom nos outros partidos que foram eleitos” nestas eleições. O sanjoanense, e antigo presidente da Assembleia Municipal, assume a paixão pelo partido há 42 anos e, “desde 1976, que eu esperava uma noite destas”, em S. João da Madeira. Quanto ao novo presidente de Câmara, João Carlos Silva recorda tratar-se do segundo presidente do município sanjoanense do PS “e está à altura de Benjamim Valente e, provavelmente, superará em qualidade e capacidade de gerir os destinos de S. João da Madeira”, enfatizou.
Recorde-se que este foi o terceiro acto eleitoral autárquico que se realizou em S. João da Madeira no espaço de quatro anos, uma vez que, após a renúncia dos eleitos pelo PSD no final de 2015, a cidade teve em Janeiro de 2016 eleições intercalares, que tiveram como resultados: 5239 votos para a coligação PSD/CDS, 4422 para o PS, 603 para a CDU, 291 para o BE e 33 para o PNR. Das intercalares resultou um ano de governação PSD com maioria absoluta, com o executivo composto por quatro elementos do PSD e três do PS.
A nível nacional nas eleições do passado domingo os socialistas conquistaram 159 autarquias com 37,82 por cento dos votos, o que equivale ao dobro das do PSD (79), que perdeu sete municípios relativamente a 2013. O PS nestas eleições conquistou mais de metade das 308 câmaras: conquistou na maioria dos principais centros urbanos, conseguiu muitas maiorias absolutas aumentando o numero de votos, que se traduziram, ainda, em mais nove autarquias que há quatro anos.

Comentar

Anónimo