Bloquistas continuam sem eleitos em S. João da Madeira
Bloco de Esquerda teve “melhores” resultados do que há quatro anos
06-10-2017 | por António Gomes Costa
O Bloco de Esquerda não conseguiu nestas eleições votos suficientes para eleger qualquer órgão autárquico. Apesar disso, consideram que este resultado (2,41%) é superior ao conseguido há 4 anos”. No entanto, para os bloquistas não basta mudar de cor.
Estatísticas

344 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

Fernando Sousa, candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara Municipal de S. João da Madeira, nas autárquicas, afirma que os resultados eleitorais do passado domingo, na cidade, “demonstraram uma vontade de mudança, de alterar aquilo que estava instalado há mais de 16 anos e que, claramente, estava esgotado”, felicitando a vitória do PS.
Aquele que foi o último candidato a ser conhecido na cidade nestas eleições, reforça que as “pessoas” disseram, no dia 1 de Outubro, que querem novas ideias, novas políticas. “S. João da Madeira precisa de um novo caminho político com medidas, projectos e acções determinantes que melhorem, de verdade, a vida das pessoas em termos económicos, sociais, ambientais e culturais”.
Para o BE, existe ainda um “longo caminho a percorrer para que a qualidade de vida nesta cidade seja uma realidade para todas as pessoas e, para esse caminho, o Bloco de Esquerda tem programa com propostas concretas, um programa que mostrámos às pessoas, não só durante esta campanha, mas ao longo dos anos, desde que o Bloco de Esquerda surgiu como mais uma força política”.
Fernando Sousa, de 73 anos de idade, revela que nestas eleições o BE teve “melhores resultados do que há 4 anos” (2,41%), o que, para o partido, “é positivo”. No entanto, a votação “não chegou” para eleger, como era vontade desta força política, qualquer elemento dos órgãos autárquicos, considerando que “isso não é positivo” para o BE, mas também para a cidade.
“Acreditamos que as políticas que apresentámos são as que S. João da Madeira precisa e ter eleitos representados nos órgãos autárquicos melhorava a sua qualidade democrática, tornando-os mais plurais”, revela.
O BE garante continuar com o mesmo “empenho, dedicação e atenção”, prometendo estar atentos “àquilo que são as necessidades das pessoas e da cidade”. Prometem, ainda, não descurar o trabalho dos novos eleitos para a Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleia de Freguesia. “Não basta mudar de cor. Em S. João da Madeira é necessário mudar de políticas na ação social, na habitação, no ambiente, no ordenamento do território, na valorização do património construído e natural, na defesa do Hospital de SJM, nas acessibilidades para todos, na cultura. Enfim há muito a fazer neste município”, remata.

Comentários
Anónimo | 13-10-2017 09:55 Curioso
Esta está boa. Ai está, estát!
O BE teve muito mais votos do que merece. O que fez este partido nos últimos 4 anos em SJM? Zero! Como tratou os assuntos locais? Com total desconhecimento! Apareceram na hora a mandar palpites, agarrando coisas soltas que tinham ouvido de outros. Até metem dó. Armados em conquistadores do império.
Foram buscar um velhote a Oliveira...
Ai Catarina, Catarina, tens que puxar as orelhas a estes meninos... Não é?

Já agora... toda a gente tirou a propaganda e eles não tiram!

Comentar

Anónimo