Comício autárquico com a presença de António Costa e Pedro Nuno Santos
“Vou ser o director comercial de S. João da Madeira”
14-09-2017 | por António Gomes Costa
O candidato do PS à Câmara de S. João da Madeira, Jorge Sequeira, disse que uma das prioridades, se for eleito, passará por ser “director comercial” da cidade e que, para isso, tirará um “curso de vendas” para estar habilitado a vender o seu concelho. O jurista de 44 anos quer tornar S. João da Madeira numa cidade de excelência e espera que os sanjoanenses sejam exigentes depois das eleições. O candidato juntou centenas de militantes e apoiantes no passado domingo, num comício que contou com a presença de António Costa, secretário-geral do PS e de Pedro Nuno Santos, mandatário da campanha.
Estatísticas

1118 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Centenas de militantes e apoiantes marcaram presença no passado domingo, dia 10, no comício de apoio da candidatura de Jorge Vultos Sequeira, pelo Partido Socialista (PS), à Câmara Municipal de S. João da Madeira.
A cerimónia decorreu no largo do Fórum Municipal e contou com a presença de António Costa, secretário-geral do PS e primeiro-ministro, e de Pedro Nuno Santos, mandatário da campanha.
O candidato Vultos Sequeira começou por assumir tratar-se do “maior comício autárquico da história do PS em S. João da Madeira”, encontro que abre caminho para “o primeiro passo para transformar e projectar para os sanjoanenses uma nova visão de futuro”.
Caso venha a ser eleito a 1 de Outubro, Vultos assumiu: “vou ser o director comercial de S. João da Madeira” e, depois das eleições, “vou tirar um curso de vendas, para estar habilitado a vender a cidade”, reforçando que a tarefa de um presidente de câmara “que tenha uma visão de futuro passa por uma captação de investimento para a cidade”, para que este saiba “vender” o seu concelho.
O jurista disse, convicto, “vamos ganhar as eleições dia 1 de Outubro”, reforçando que irá “adorar” ser o próximo presidente da Câmara em S. João da Madeira.
O cabeça-de-lista não escondeu nesta candidatura a “paixão pela educação”, garantindo que esta estará no “centro das prioridades” nesta corrida autárquica. “Futuramente, a Câmara Municipal far-se-á representar nos conselhos gerais dos três agrupamentos escolares pelo próprio presidente da Câmara”, uma vez que não “podemos ter uma visão de futuro se não trabalharmos a educação”. Para os jovens, o candidato quer implementar um “Erasmus Municipal”, que os levará “principalmente” até outras cidades geminadas com S. João da Madeira. Ainda como prioridades, destacou a criação de um balcão municipal de troca de manuais escolares, garantir a todas crianças do 1.° ciclo uma hora por dia de educação física, “o que não acontece neste momento”, e pretende ainda criar uma assembleia municipal de jovens.

“Uma cidade de excelência”

Como medida para atrair a juventude, uma vez que neste momento “existe uma fuga para outros territórios”, promete criar um programa de incentivos fiscais à compra de casa e a criação de uma nova centralidade urbana, dotada de complexo habitacional, nas zonas do Orreiro e Roupal.
O candidato diz saber o que quer para S. João da Madeira. “Uma cidade de excelência” e desafiou os sanjoanenses a serem “muito exigentes depois das eleições”. Prometeu também a criação de uma “via verde” para o investimento e um “Simplex Municipal”, recorrendo às novas tecnologias, seguindo “práticas de outros municípios”, uma vez que uma das apostas desta candidatura passa também pela “inovação e diferenciação”.
O assunto das águas, os vários casos sem-abrigo, a criação de um gabinete municipal, abate zero para os animais errantes, investimento nos bairros sociais, no desporto e uma forte aposta na cultura, criando a Casa da Memória no Palácio do Rei da Farinha para mostrar a quem nos visita “a riqueza da nossa terra”, são outras das prioridades do candidato.
Pedro Nuno Santos, actualmente secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, começou a sua intervenção referindo-se ao candidato socialista como um homem “sério, inteligente, competente, humilde e próximo das pessoas”, frisando que o PS em S. João da Madeira escolheu o “melhor” candidato, considera que a mesma escolha não aconteceu do lado dos sociais-democratas, acusando Paulo Cavaleiro de ter colocado a sua “ambição pessoal à frente da cidade e do seu partido”. Pedro Nuno acrescentou que S. João da Madeira é uma terra de gente “séria”, entendendo que, por parte do PSD, não podem pedir aos sanjoanenses que dêem confiança e apoio a “um candidato que não tem a confiança nem o apoio daqueles com quem trabalhou nos últimos quatro anos”, fundamentou.
Segundo o mandatário de campanha o PS “não desvaloriza” o trabalho feito pela Câmara PSD nos últimos quatro anos. “Foi feito trabalho importante na nossa cidade nas últimas governações”, mas atirou que S. João da Madeira “já teve uma centralidade que foi perdendo” e que o PS agora quer recuperar.
O secretário-geral do Partido Socialista salientou a forte “capacidade profissional, as competências e a dedicação” com que Jorge Sequeira “se dedica aos assuntos”, garantindo que o candidato tem o “perfil para quem quer ser um bom presidente de Câmara”.
António Costa lembrou que S. João da Madeira tem quatro secretários de Estado, defendendo que a função de presidente de câmara é o cargo mais “giro e exigente” que se pode ter na vida política.

Comentários
Anónimo | 19-09-2017 14:50 Mudar...mudar... mudar
Qualquer director, manager ou presidente... quer de uma empresa, associação ou camara, tem de ser um fantástico comercial.
Porque nos tempos que correm é preciso saber "vender bem" para receber melhor. É preciso saber negociar e argumentar. O Jorge sabe.
Não tendo o discurso usual de um político vivido, tem o know how e a vontade.
Acho que a palavra de ordem é a "MUDANÇA"... vamos acabar com décadas de vícios!
E tirem-me o Cavaleiro da câmara!
Todos os candidatos tem empregos e profissões...
Esse senhor, se não ganhar, terá de recorrer aos amiguinhos dos tachos e favores... Como são tantos, no dia seguinte estará empregado com certeza! Não pelas competências (porque será que quem estudou ou trabalhou com ele, são aqueles que não o apoiam?!).
Anónimo | 15-09-2017 14:26 Vender... A Alma?
Caríssimo dr. Sequeira, pela exigência à qual, como Sanjoanenses, somos obrigados, alguns pontos temos que esclarecer.
Em São João da Madeira não pretendemos nem Canadair´s, nem Kamov´s e muito menos negociatas do tipo Siresp. Com certeza, recordar-se-à do tempo, em que sob a tutela do dr. Fernando Rocha Andrade, andou a brincar com o dinheiro dos Portugueses e nos deixou esta "recordação" para o nosso futuro (será isto ter visão?!).
Alguém que apregoa ver o nosso futuro, deveria ter cá estado no passado. Tem andado onde o dr. Sequeira? Esse programa é o quê? Não é nada. Não assume compromissos, desafios, ou mostra qualquer visão. Os Sanjoanenses precisam de mais e bem melhor.
Anónimo | 15-09-2017 13:36 Pontos nos i´s
Caríssimo dr. Sequeira, pela exigência à qual, como Sanjoanenses, somos obrigados, alguns pontos temos que esclarecer.
Em São João da Madeira não pretendemos nem Canadair´s, nem Kamov´s e muito menos negociatas do tipo Siresp. Com certeza recordar-se-à do tempo, em que sob a tutela do dr. Fernando Rocha Andrade, andou a brincar com o dinheiro dos Portugueses e nos deixou esta "recordação" para o nosso futuro (será isto ter visão?!).
Alguém que apregoa ver o nosso futuro, deveria ter cá estado no passado. Tem andado onde o dr. Sequeira? Esse programa é o quê? Não é nada. Não assume compromissos, desafios, ou mostra qualquer visão. Os Sanjoanenses precisam de mais e bem melhor.
Anónimo | 15-09-2017 13:14 De advogado a Comercial?
Caríssimo dr. Sequeira, pela exigência à qual, como Sanjoanenses, somos obrigados, alguns pontos temos que esclarecer.
Em São João da Madeira não pretendemos nem Canadair´s, nem Kamov´s e muito menos negociatas do tipo Siresp. Com certeza recordar-se-à do tempo, em que sob a tutela do dr. Fernando Rocha Andrade, andou a brincar com o dinheiro dos Portugueses e nos deixou esta "recordação" para o nosso futuro (será isto ter visão?!).
Alguém que apregoa ver o nosso futuro, deveria ter cá estado no passado. Tem andado onde o dr. Sequeira? Esse programa é o quê? Não é nada. Não assume compromissos, desafios, ou mostra qualquer visão. Os Sanjoanenses precisam de mais e bem melhor.
Anónimo | 15-09-2017 13:06 visão de futuro um pouco obscura
?Vou ser o director comercial de S. João da Madeira?
A sério??? Soa-me a banha da cobra...
Anónimo | 15-09-2017 12:48 Exigentes seremos
Caríssimo dr. Sequeira, pela exigência à qual, como Sanjoanenses, somos obrigados, alguns pontos temos que esclarecer.
Em São João da Madeira não pretendemos nem Canadair´s, nem Kamov´s e muito menos negociatas do tipo Siresp. Com certeza recordar-se-à do tempo, em que sob a tutela do dr. Fernando Rocha Andrade, andou a brincar com o dinheiro dos Portugueses e nos deixou esta "recordação" para o nosso futuro (será isto ter visão?!).
Alguém que apregoa ver o nosso futuro, deveria ter cá estado no passado. Tem andado onde o dr. Sequeira? Esse programa é o quê? Não é nada. Não assume compromissos, desafios, ou mostra qualquer visão. Os Sanjoanenses precisam de mais e bem melhor.
Anónimo | 14-09-2017 17:26 Eu apoio Jorge sequeira
O meu voto é dele

Comentar

Anónimo