Coligação «Maioria por S. João da Madeira» apresentou programa e equipa
“O coração que nos une bate cada vez com mais força”
14-09-2017 | por Joana Gomes Costa
Uma “cidade viva, competitiva, solidária, sustentável e participativa”. Esta é a visão de Paulo Cavaleiro para S. João da Madeira, num futuro que projecta a cidade já com a próxima década no horizonte. Foi perante a sala da Casa da Criatividade lotada que o candidato da coligação «Maioria por S. João da Madeira» (PSD/CDS) apresentou as “20 medidas estratégicas” do seu programa eleitoral, numa sessão em que Pedro Ventura e Deolinda Nunes, cabeças-de-lista à Assembleia Municipal e Assembleia de Freguesia, respectivamente, traçaram as linhas mestras para os órgãos a que se candidatam, com ênfase no diálogo e na proximidade.
Estatísticas

759 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

“A vossa presença aqui hoje mostra que o coração que nos une bate cada vez com mais força” - foi assim que Paulo Cavaleiro, o candidato à presidência da Câmara pela coligação «Maioria por S. João da Madeira» (PSD/CDS), se dirigiu ao público que, no final da tarde do passado domingo, dia 10, encheu a Casa da Criatividade, para assistir à sessão em que apresentou do programa com que se apresenta às eleições autárquicas do próximo dia 1 de Outubro.
Perante uma cidade “que nos desafia a ir sempre mais além”, Paulo Cavaleiro compromete-se a “trabalhar de alma e coração por S. João da Madeira”, colocando “a cidade sempre acima de quaisquer interesses”.
O candidato apresenta um programa autárquico com “especial incidência nos próximos quatro anos”, mas que “projecta também a cidade que queremos construir na década seguinte”. Uma “visão 2030” que assume não ser “um projecto fechado”, mas “em permanente construção, fruto dos contributos dos sanjoanenses”, com o objectivo máximo de fazer de S. João da Madeira “uma cidade de todos e para todos”.

As 20 medidas de referência

Do programa da coligação que resultou da acção de um “grupo de trabalho interdisciplinar”, o candidato apresentou nesta sessão as “20 medidas de referência”.
À cabeça, Paulo Cavaleiro propõe-se avançar com o “programa +Escola”, que se traduz num “novo ciclo de investimento na reabilitação das escolas”, ao mesmo tempo que quer concretizar a empreitada de intervenção na Escola Dr. Serafim Leite, assumindo o compromisso de promover a requalificação da EB2/3.
Paulo Cavaleiro quer transformar o Palacete do Rei da Farinha na «Casa do Lápis e da Ilustração». A coligação quer criar um “centro de design de produto” vocacionado para “a formação e valorização profissional”, propondo-se desenvolver eventos de projecção da entidade local, como o «Hat Weekend».
“Ser a melhor Smart City do país” é também um objectivo de Paulo Cavaleiro, que assume ainda o compromisso de concretizar o projecto das novas piscinas.
O candidato garante que não esquece “as obras de proximidade”, as “pequenas intervenções” às quais promete dar “a mesma atenção que damos aos grandes investimentos”. “A nova Praça”, já em andamento, é um “desafiante projecto” que Paulo Cavaleiro considera que irá permitir “valorizar o centro da nossa cidade”.
A valorização do Mercado Municipal e dinamização do comércio local são também objectivos da coligação, que aponta a concretização da ampliação do Parque do Rio Ul como um projecto relevante, criando uma ligação pedonal por toda a extensão desta área verde.
Uma “melhor habitação social” é outra das medidas anunciadas, a par com a requalificação do espaço público em diferentes pontos da cidade. PSD e CDS comprometem-se ainda com o projecto a que chamam de «S. João Fotovoltaico», numa aposta na eficiência energética em edifícios municipais, assim como a definição de uma “estratégia para o Roupal”.
No apoio à economia, Paulo Cavaleiro avança com o programa «Investir em S. João é Fácil», apostando também no reforço do «Município Digital».
Na área da mobilidade, a coligação quer reforçar a rede TUS, ao mesmo tempo que promete lutar pela beneficiação do acesso à A1 e pela requalificação da Linha do Vouga.

“Paixão por S. João da Madeira”

“Juntos estamos a construir uma cidade viva, competitiva, solidária, sustentável e participativa”, disse Paulo Cavaleiro, salientando ser “particularmente relevante olhar para a Europa”, para assim poder tirar partido de fundos europeus que são uma “marca do nosso projecto autárquicos” e de iniciativas comunitárias como o programa Erasmus.
“É muito importante votar”, alerta Paulo Cavaleiro, considerando que “ninguém de bom senso quer que se repita o que se passou na primeira metade do mandato actual, marcada por sucessivos bloqueios da oposição”. Lembrando que nas intercalares de Janeiro de 2016 os sanjoanenses deram “à cidade as condições necessárias para avançar”, o candidato sublinha que é agora “preciso reafirmar nas urnas esse voto de confiança”.
A cabeça-de-lista à Assembleia de Freguesia, Deolinda Nunes, assumiu o objectivo de tornar a Junta “próxima dos cidadãos, colaborativa, transparente”, mas também “rigorosa no cumprimento dos seus compromissos”, sempre em “completa articulação com a Câmara Municipal”. Apresentando alguns dos projectos que se propõe desenvolver, como a reabilitação do Parque Nossa Senhora dos Milagres ou a modernização dos serviços, Deolinda Nunes deixou a garantia de que irá “votar sempre a favor das iniciativas que sejam benéficas para a nossa cidade”.
Partilhando a sua ligação a Paulo Cavaleiro, o cabeça-de-lista à Assembleia Municipal, Pedro Ventura, assumiu que ambos são “simplesmente dois fanáticos por S. João da Madeira”. Para o mandato que se propõe liderar como presidente do órgão deliberativo do município, Pedro Ventura coloca a tónica na promoção do “diálogo” e nas pessoas. “Hoje estou aqui a assumir um compromisso perante todos os sanjoanenses”, concluiu.
Nas eleições autárquicas “vamos escolher as pessoas que vão trabalhar para a nossa terra”, disse o mandatário da candidatura da coligação, Castro Almeida, apelando a uma “escolha muito criteriosa”. E sobre as listas da «Maioria por S. João da Madeira» garante estar “muito orgulho e tranquilo”, pois “junta experiência autárquica com arrojo, inovação e criatividade”. Sobre Paulo Cavaleiro, o mandatário classificou-o como “muito humano”, com “defeitos”, mas também com “as qualidades que um presidente de Câmara precisa”.
Castro Almeida alertou ainda para a importância do voto no dia 1 de Outubro, até porque “as sondagens não ganham eleições”.
João Almeida, porta-voz nacional do CDS-PP e número três da lista concorrente à Câmara pela coligação, partilhou a sua convicção de que “Paulo Cavaleiro é a pessoa certa para nos liderar neste projecto”. E apontando baterias às candidaturas concorrentes que criticam Paulo Cavaleiro, João Almeida foi peremptório: “nunca ouvi dizer mal de nenhum candidato fraco”. “Se há pessoas que gastam o seu tempo a querer deitar abaixo e a dizer mal é porque sabem que tens qualidades”, disse, dirigindo-se ao cabeça-de-lista à Câmara.
“Há alguns que só falam de futuro e não é por acaso. É porque em relação ao passado e ao presente há pouco que se lhes possa dizer, agradecer ou até criticar”, afiançou João Almeida, recordando que “durante a primeira metade deste mandato autárquico, fruto da circunstância do executivo camarário não ter maioria, foi possível a quem estava na oposição contribuir para o governo da cidade”, altura em que, disse, “escolheram o bloqueio”. “Visão de futuro era ir buscar fundos comunitários para construir uma piscina”, afiançou.
E lembrando as iniciativas de PSD e CDS no Parlamento sobre a requalificação da Linha do Vouga, do acesso à A1 e do problema da qualidade do ar, João Almeida defendeu que “ter visão de futuro é exigir que o Governo concretize o que a Assembleia da República já aprovou”.
O Eurodeputado do PSD Paulo Rangel apresentou Paulo Cavaleiro como um “político da geração 4.0”, sendo “o homem certo no tempo certo”, pois alia a “experiência” à “ligação aos executivos anteriores que transformaram S. João da Madeira num referência a nível nacional”.
 

Comentários
Anónimo | 19-09-2017 14:54 Onde está o Wally
Estou farta do candidato do PSD...
Aparece em todo o lado, mesmo quando não é convidado!
Aparece por aparecer, para se mostrar... do género "estou aqui"... Depois agarra-se ao telemóvel e quando os eventos começam, vai embora! Pois já foi visto.
Menino... é levantar as mangas e por mãos à obra.
Já que aparece, trabalhe... OU JULGA QUE TODO O LADO É O SEU GABINETE NA CAMARA. ONDE FAZ ZERO TODO O DIA?!
Anónimo | 19-09-2017 14:40 Vergonha dos tachos deste "DR" ao longo de anos...
Ja temos o TRUMP...Já só cá faltava o CAVALEIRO!
Poupem-nos a nós sanjoanenses!
Anónimo | 16-09-2017 08:43 Gadgets fazem-nos voltar os olhos para o nosso umbigo!
Têm razão, o PC é realmente comparável a um gadget de 4. geração: perspectiva muito entretenimento, desfocando as pessoas de valores vitais. Vamos passar o tempo entretidos, de chapéu na cabeça, a dançar junto a um coreto ou a mergulhar em betão de milhões, mas... e programas que visam essencialmente o bem das pessoas? Programas que prevejam medidas sociais sérias de apoio aos mais necessitados? E programas de requalificação ambiental? E os animais? Onde cabem os animais nesta candidatura? 3 milhões para as piscinas, enquanto que os animais terão 4 boxes no novo albergue?

Os cidadãos também precisam de festa e entretenimento, mas importam-lhes mais medidas sérias que os ajude efectivamente no dia a dia.

Este programa é claramente um programa elitista, voltado a satisfazer as necessidades dos que já estão bem de vida economicamente. Não traz acrescento para os outros, os muitos, os que necessitam de tudo e não têm nada. Dêem-lhes a escolher, e eles não vão escolher piscinas de 3 milhões, quando lhes falta tostões para o essencial.

Comentar

Anónimo