Questões da nossa Cidade - DCCXXXVI
27-07-2017 | por Adé
Estatísticas

2712 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

I - A culpa é da Câmara Municipal
Quero acreditar que uma esmagadora maioria dos são-joanenses ainda se lembrarão do que foi dito pela vereação municipal anterior à de Ricardo Oliveira Figueiredo, quando resolveram retirar os passeios nas ruas do Colégio Castilho, do Dr. Maciel,  do Dourado e  Júlio Dinis.
O suposto, no dizer de quem era responsável pela gestão camarária, era que a margem do lado sul da rua do Colégio Castilho seria reservada única e exclusivamente para os peões, ficando o corredor central para o trânsito automóvel e a margem norte para o estacionamento não gratuito para automóveis; na rua Dr. Maciel, uma parte dela e na margem norte junto à florista e próximo do Parque América seria igualmente para o uso exclusivo dos peões e a margem do lado sul e também naquele pequeno troço da rua ficaria para o estacionamento não gratuito dos automóveis; na rua do Dourado, seriam as duas margens da rua para o uso exclusivo dos peões, ficando o corredor central para os automóveis; e também na Rua Júlio Dinis, ficaria a margem poente da rua reservada para os peões e a margem do lado nascente para o estacionamento não gratuito para automóveis.
O certo é que, durante uns tempos, os automobilistas foram respeitando essa “directiva” verbal do município. Até ao dia em que os automobilistas descobriram  que a Câmara Municipal não tinha cumprido o seu elementar dever de assinalar nos locais que dizia ser reservado para os peões com placas de proibição de estacionamento para os automóveis, uma vez que essas mesmas margens não eram nem podiam ser consideradas passeios! Isto é, a Câmara fez a comunicação, mas não agiu em conformidade, deixando que os automobilistas tivessem a possibilidade de obstruir os espaços que, à partida, estariam reservados para o uso exclusivo dos peões. E, no cúmulo, até consentiu na retirada de alguns pinos na rua do Dourado, para melhor facilitar o estacionamento de automóveis no espaço reservado para peões. E sempre em prejuízo das pessoas!
Esta falha gravíssima da secção de trânsito municipal e do vereador que tem esse pelouro sob sua responsabilidade, da não colocação das placas de proibição, é intolerável e é a demonstração de incapacidade na gestão dos assuntos do trânsito. Porque disso dependia e depende a actuação fiscalizadora da polícia de segurança pública, nas ruas aqui referidas e nas demais artérias da cidade.
E a confirmar-se ser esse o impedimento que impossibilita a polícia de agir nesses  locais aqui mencionados, não tenho dúvida nenhuma em reconhecer que devo um público pedido de desculpas à senhora Comandante da Esquadra da Polícia de Segurança Pública de S. João da Madeira, bem como a todos os restantes agentes policiais da referida esquadra, pelo facto de os ter criticado injustamente num dos meus artigos anteriores e relacionado com o estacionamento de automóveis nas ruas atrás mencionadas.
Vamos aguardar e verificar se a Câmara Municipal faz agora aquilo que lhe competia ter feito antes, ou se vai, ela, sim, continuar olhar para o lado e fingir que não se passa nada. Mas enquanto este assunto não ficar resolvido, vou fazer de “disco riscado” e repetir, vezes sem conta, a chamada de atenção para este problema, cuja continuidade só tem sido possível pela habitual e já irritante passividade da população.
    
II - O Mercado Municipal faz parte do comércio tradicional
São muitas as vozes que pedem mais e melhores condições para que as pessoas venham fazer as suas compras no comércio tradicional são-joanense! E eu aproveito para recordar que também o Mercado Municipal faz parte do comércio tradicional da nossa terra e, por isso, devemos visitá-lo uma vez por semana que seja, de forma a mantermos o nosso Mercado Municipal com uma actividade positiva em termos de clientela.
Muitas das pessoas que por vezes falam na defesa do comércio tradicional da nossa cidade são aqueles que não a visitam e se esquecem de que temos um Mercado Municipal com excelentes condições, com produtos de boa e recomendável qualidade e com preços competitivos, comparativamente às grandes e médias superfícies aqui sedeadas e onde também faço algumas das minhas compras. Mas a minha família reservou sempre, de há muitos anos a esta data, o dia de sábado para efectuar as nossas compras no nosso Mercado Municipal. E assim iremos continuar a fazê-lo!
Por isso, deixo aqui o meu apelo aos são-joanenses: reservem pelo menos um dia da semana para efectuar as vossas compras no nosso Mercado Municipal e estarão a contribuir para a sustentabilidade do comércio tradicional da nossa cidade. E, por outro lado, recomendo aos vendedores do nosso Mercado Municipal que sejam  profissionais, simpáticas e prestativos no atendimento dos vossos clientes.
Isto que estou aqui a fazer deveria ser feito pelo Município, que deveria deversificar mais as suas preocupações na dinamização da cidade no seu todo e não apenas da Praça!
Foram investidos milhares e milhares de euros na requalificação do Mercado Municipal e milhões no parque subterrâneo para o estacionamento automóvel e a Câmara ainda não conseguiu encontrar um evento adequado para se realizar um vez por ano no interior do Mercado Municipal, como forma de chamar a atenção dos são-joanenses para aquele excelente local de vendas? Sinceramente....
Boas férias para todos os leitores e até ao dia 31 de Agosto nas páginas deste jornal!
      

Comentários
Anónimo | 14-08-2017 14:00 OS PREÇOS NO MERCADO
nem por isso o mercado tem preços atrativos a dias estive la para fazer umas compras e depois de falar com algumas vendedeiras sobre o mesmo assunto verifiquei que havia diferenças no preço e o artigo era o mesmo,
conclusão ,comprei no mercado tradicional ca fora por melhor preço, i esta einn

Comentar

Anónimo