Questões da nossa Cidade - DCCXXXIV
13-07-2017
Estatísticas

1569 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

I - O sms do Presidente da Concelhia Socialista
O actual Presidente da Concelhia Política do PS, Dr. Rodolfo Andrade, enviou-me um sms, agastado com o que escrevi no ponto III do meu artigo de opinião da semana passada, com o subtítulo “A Assembleia de Militantes Socialistas”! E, no referido sms, o Dr. Rodolfo Andrade queixa-se da existência de algumas inverdades minhas, como o facto de eu ter escrito que a referida assembleia se realizara porque o Presidente da Federação Socialista de Aveiro o tinha solicitado à concelhia local, quando, na verdade, a ideia partira dele. Disse também que a Ordem de Trabalhos que eu  mencionei e que deveria ir acompanhada da convocatória da Concelhia, não é obrigatória pelos Estatutos Socialistas.
Na verdade, a grande maioria dos poucos militantes presentes na assembleia ficou convencida, pelo que ouviram - porque foi ali mencionado - e pelo que me foi dado constatar, que a realização da assembleia se ficou a dever a um expresso pedido do Presidente da Federação Distrital Socialista, Dr. Pedro Nuno Santos; e, no meu entender, a apresentação de uma Ordem de Trabalhos anexo à convocatória é um procedimento habitual, mesmo que não obrigatória. Seria, quanto a mim, um bom sinal de organização por parte da concelhia, para que os militantes soubessem antecipadamente do ou dos assuntos que iam ali ser discutidos. Assim, foram às escuras! Por conveniência de quem?!
Depois, é preciso que se saiba, que não foram todos os militantes convocados. Ficou até a impressão que houve exclusões premeditadas. Uma pessoa minha amiga, por exemplo, que é militante há pelo menos três anos e com as cotas em dia, que soube da convocatória pelo jornal, apressou-se a contactar o Presidente da Concelhia, Dr. Rodolfo Andrade, perguntando o porquê da sua não convocação. E a resposta foi que não tinha encontrado dados na sua ficha  de filiação partidária, o que era impossível, porque foi sempre contactado pelo partido através dos dados contidos na respectiva ficha! Mesmo depois dessas conversas através do correio electrónico, o militante não recebeu a convocatória que o Presidente deveria ter mandado por mail, porque depois daquela conversa, ficou com aquilo que precisava para o convocar: o endereço electrónico do militante! Por que não o fez então, Presidente?
De resto, eu em Maio escrevi, como simpatizante, neste mesmo espaço, que a Concelhia devia realizar uma assembleia para unir o Partido, coisa que o actual Presidente da Concelhia nunca se preocupara em realizar. Nem sequer uma nota jornalística ou mail a dizer que a assembleia se iria realizar em tempo oportuno e na data tida por conveniente pela concelhia. Nunca o fez e deixou que o mau-estar entre os militantes e simpatizantes se instalasse. E a situação prolongou-se com incertezas e com a enorme demora na escolha do um candidato para a Câmara Municipal,  com várias personalidades a serem contactadas... enfim, num verdadeiro jogo da “cabra cega”.
Agora, numa assembleia reduzida de gente, alguém afirma que o Partido está unido! E que até vamos ganhar as eleições! Eu sempre ouvi dizer que, para o PS ganhar as eleições autárquicas em S. João da Madeira, era necessária a convergência de  três situações: primeira, ter o Dr. Paulo Cavaleiro como adversário  e disso já temos a certeza! Segunda, ter um candidato com grande impacto entre os eleitores! E, terceira, ter uma máquina partidária forte!
Eu pergunto? Tem o PS reunidas estas duas últimas condições? Partindo do princípio que o candidato até é bom... e a máquina partidária, que é de responsabilidade exclusiva do presidente da concelhia, funcionará forte?  
 
II - As criticas à Presidente da Junta de Freguesia
Foram várias - socialistas e não socialistas - as pessoas que me questionaram sobre as minhas críticas dirigidas à Presidente da Junta de Freguesia, publicadas na passada semana. E muitas dessas pessoas puseram em dúvida a minha manifestada simpatia ao Partido Socialista, pois acham que eu tenho sido demasiadamente crítico para com a Junta de Freguesia ou a sua  presidente.
Ora, como resposta, disse-lhes que a Junta de Freguesia ou a sua presidente é que, de quando em quando, se põem a jeito! E, como sempre, procuro ser o mais coerente possível em relação às críticas que faço. Não aceito que sejamos críticos apenas em relação aos de outras cores políticas e deixemos sem críticas os que são da nossa cor política. Quem não consegue criticar os seus não tem moral para criticar os outros.
Aliás, a Dr.ª Helena Couto foi por mim “alertada”, em 2013, logo no dia em que se soube que tinha sido eleita. Pois, quando lhe dei os parabéns nessa mesma noite no Fórum Municipal, disse-lhe que estivesse preparada para as minhas críticas, pois não iria ser condescendente por via da cor política que ela representava! E ela, num estado de felicidade e euforia pela surpreendente vitória eleitoral, na altura respondeu-me: “venham elas”! Ora, elas aí estão! Lembra-se, Presidente?
Apesar de tudo e para que não haja dúvida, reafirmo que a minha promessa de  votar na sua lista nas eleições do próximo dia 1 de Outubro mantém-se! Mas será de todo aconselhável que ela, a Presidente da Junta, não se ponha tanto a jeito, cometendo erros primários e perfeitamente evitáveis. Porque, estando nesse cargo político há quase quatro anos, deveria, a presidente, com a experiência acumulada,  ser mais cautelosa nos procedimentos e  nas decisões políticas de risco, de modo a não ter que se sujeitar às minhas e às demais críticas, mais ou menos conduntentes.

III - Para grandes males, grandes remédios
Faz precisamente hoje oito dias que ouvi - depois de uma observação minha - da boca de quem pode vir a ser, se ganhar as eleições autárquicas, o próximo presidente da nossa Câmara Municipal, que havia dificuldades, por falta de pessoal - e também por falhas no planeamento, digo eu - para o corte da erva, relva e capim que se vai vendo em altura exagerada um pouco por toda a cidade, que provoca danos à saúde das pessoas no plano respiratório e de alergias.
Sempre ouvi dizer que para grandes males, grandes remédios e, por isso, porque não contrata a Câmara - já que está impedida de contratar pessoal para a jardinagem - uma empresa em empreitada  para o corte dessa erva, relva e capim crescido na cidade, evitando o continuado sofrimento das pessoas que padecem desses problemas de saúde?

Comentários
Anónimo | 17-07-2017 23:37 Grande Adé, claro!
Grand Adé. Claro de clarividência, não da maior ou menor reflexão da luz. Direi mesmo notável este senhor Adé, como quando cá chegou com a promessa de um grande rematador. Sempre a chutar a relva. Oh senhor Adé deixe-se de mexericos o senhor mais parece uma lavadeira de trapos com os seus artiguecos.
Anónimo | 17-07-2017 09:04 Da Esquerda ou da Direita, interessa?
Ó Sr. Pacheco Pereira: mas afinal o que interessa votar nas autárquicas é ou não apenas a competência das pessoas? Não será nestas eleições que as ideologias devem ficar para segundo plano?
Anónimo | 14-07-2017 15:25 De mexirico, homem de recados e grande Adé
Por que será que lêem os artigos do Adé, já que têm deles (os artigos) um grande preconceito? Se fazem deles tantos comentários depreciativos, não será por vos incomodar? QUEM NÃO GOSTA NÃO COME!!!!!
Pelo menos tem-se a certeza que vocês, os comentadores, são os leitores mais assíduos dos artigos dele! Falam, falam, falam, mas não deixam de os ler! FINGIDOS E DISSIMULADOS!!!

Anónimo | 14-07-2017 13:50 DISTRAIAM-SE (por José Pacheco Ferreira)
Distraiam-se com as políticas de polichinelo e deixem o Cavaleiriro cavalgar. Depois digam que a culpa foi dos outros como o têm feito um pouco ao longo dos anos. Sejam um pouquinho de esqueda por favor.
Anónimo | 14-07-2017 00:24 Grande Adé, grande Adé
Adé bate na esquerda, bate na direita, remata e ........................................arranca mais meio quilo de relva.
Francamente senhor Adé basta de conversa da treta. O senhor não tem a aceitação pública com que se faz passar. Seja modesto e aprenda a não escrever erros em suco,
Anónimo | 13-07-2017 22:25 Moço de recados
Sr. Adé, acha que lhe fica assim tão bem ser o moço dos recados?
Anónimo | 13-07-2017 17:48 Mexericos
Senhor Adé deixe-se de laver roupa suja. coisa tão chata... meu Deus.
Sempre a branquear, sempre a pôr lexivia. Basta! Fale dos passarinhos, dos cãezinhos etc.
Anónimo | 13-07-2017 15:34 o SMS do Presidente da Concelhia Socialista, a Lei e a Democracia
Pelo que vejo anda muita gente distraída e toma como verdade a não obrigatoriedade do envio de convocatórias aos militantes inscritos e ordem de trabalhos. Pois bem, é preciso de uma vez por todas esclarecer este ponto em que até o Sr. Adé, pessoa informada, parece dar como certo e não é. Vamos a factos.
É, sim, obrigatório o envio de convocatória a todos os inscritos e com a respectiva ordem de trabalhos como se confirma nos estatutos. Dizem os estatutos do Partido Socialista no seu artigo 94º que "os órgãos deliberativos das estruturas de âmbito local, distrital ou regional reúnem extraordinariamente mediante aviso contendo a ordem de trabalhos a enviar a todos os inscritos até cinco dias antes da data fixada". O mesmo se aplica às assembleias ordinárias e com caracter de urgência.
Pegando num comentário na edição anterior do Regional sobre o envio de convocatórias nas IPSS?s, na qual se incluí a ACAIS, e onde também parece que o mesmo tipo de irregularidade se pratica ultimamente, confirma-se também a sua obrigatoriedade. Diz a Lei 76/2015, de 28 de Julho, sobre convocação da assembleia geral nestas organizações, que ?a convocatória é afixada na sede da associação e remetida, pessoalmente, a cada associado através de correio eletrónico ou por meio de aviso postal?.
Em causa está a democracia. Este assunto não é de somenos importância pois trata-se de informar o militante/associado de um evento democrático, onde legitimamente pode e deve exercer o seu direito de se manifestar e que não ocorrendo, para além de contrariar a lei e/ou estatutos, pode ficar em causa. Importa assim realçar que os responsáveis nas organizações, deveriam como ninguém, por via dos cargos que ocupam, zelar e fazer a defesa rigorosa dos direitos dos militante/associados, no estrito cumprimento dos estatutos, quando não destes, da lei que assim obriga. Porém, sobre tudo isto, não se pode deixar de referenciar algumas personalidades com responsabilidades nesta matéria, nomeadamente o Dr. Rodolfo Andrade, presidente da Comissão Política do PS e o Dr. Jorge Vultos Sequeira, actual candidato pelo PS à presidência da câmara de SJM, que também pertence à mesma comissão política e é presidente da Mesa da Assembleia Geral da ACAIS, apelando para que respeitem, cumpram os seus deveres e assegurem os direitos das pessoas que constituem essas organizações.

Comentar

Anónimo
Tempo
Farmácias de Serviço
Edição Impressa
Publicidade
Classificados
Escritórios
Aluga-se para Escritórios ou outros Entre frente ao CTT de Olive...
Venda
Armazém ou garagem
Aluga-se ou Vende-se Armazém ou garagem 60 euros /mês Com opção d...
Aluga-se