De portas abertas há sete anos
Capela do Parrinho com inauguração mais uma vez adiada
13-07-2017 | por António Gomes Costa
Inicialmente prevista para esta altura do ano a inauguração da Capela do Parrinho, esta continua sem data para a sua inauguração oficial. Ao fim de sete anos de portas abertas, este espaço de culto, que recebe aos sábados cerca de 250 fiéis na missa, vai continuar na incerteza quanto à sua inauguração. O estado de saúde do abade parece estar na origem deste adiamento.
Estatísticas

389 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

A Capela Nossa Senhora de Fátima, no Parrinho, em S. João da Madeira, não vai ser inaugurada ainda este verão. Em Fevereiro deste ano, Domingos Milheiro, pároco da cidade, garantia à nossa reportagem que a mesma deveria acontecer “antes do verão e com a presença do Bispo do Porto”. No entanto, esta semana, anunciou que a mesma não iria acontecer e que seria melhor “não fazer mais suposições” quanto à sua inauguração.
Segundo apurámos junto de uma fonte ligada à igreja, este adiamento tem ficado a dever-se nos últimos tempos ao estado de saúde do chefe máximo da igreja em S. João da Madeira e a inauguração só deverá acontecer quando este se sentir melhor “fisicamente”, anunciou a mesma fonte.
Joaquim Alves, membro da comissão da capela, não esconde a mágoa por este espaço de culto, que todos os sábados, pelas 17 horas, recebe os fiéis que ali se deslocam para a missa, ainda não ter sido oficialmente inaugurado. “A capela está sem benzer, já esteve para ser inaugurada em Setembro do ano passado, ficou para este verão e não sabemos se será em Outubro próximo ou ainda este ano”. Na sua opinião, a capela deveria ter sido “benzida e inaugurada há aproximadamente três anos”, mas aponta a saúde do abade como a causa principal para estes adiamentos, refere Joaquim Alves.
A Capela do Parrinho, em S. João da Madeira, abriu portas para a primeira celebração em Setembro de 2012, precisamente dois anos depois do arranque das obras. Apesar de reconhecerem o estado debilitado do pároco, alguns populares do lugar do Parrinho confidenciaram-nos que “a capela já deveria ter sido inaugurada há muito tempo, mesmo antes da situação de saúde do padre”, reforçando que o próprio Bispo do Porto já deveria ter mostrado interesse em cá vir, uma vez que este espaço pertence à diocese, acrescentaram os populares.
A construção desta igreja foi sempre um desejo forte e muito antigo para os habitantes daquele lugar. Foi a 15 de Setembro de 2010 que o sonho, com mais de 28 anos, começou a ganhar forma com o arranque das obras e já nessa altura não teve direito a cerimónia oficial do lançamento da primeira pedra.  
Com gestão da comissão fabriqueira, este moderno “espaço de oração”, com vista panorâmica para o IC2, possui uma arquitectura moderna e simples, luz directa, zonas arejados, capacidade para mais de 250 lugares sentados, sala de paramentação, espaço para confessionário, sala de arquivo, um auditório, salas para catequese e várias casas de banho. Trata-se de um edifício com boa acústica e está equipado com o que existe de mais moderno.
A cor cinza exterior é próxima do branco de todo o interior da capela, o que lhe dá uma atmosfera serena e intimista, permitindo que a atenção se volte para o altar, onde aparece a imagem do Cristo em bronze com um patine dourado sobre uma cruz com patine em ouro, desenhada de propósito para o efeito pelo pintor sanjoanense Vítor Costa.
Está ainda previsto a instalação de um grande vitral, que terá como objectivo cortar a visibilidade exterior e interior, fazendo um filtro através da cor cinza, feita com ácido sobre o desenho dos pastorinhos e azinheiras.
Recorde-se que a Capela Nossa Senhora de Fátima, no Parrinho, começou a ser construída de raiz em 1984 e veio substituir a capela provisória que servia, aos sábados, os moradores da zona.

Comentários
Anónimo | 13-07-2017 16:53 Mas Milheirós está tão perto
Mas já que depois de outubro Milheirós vem para SJM porque não pedem ao Padre de Milheirós para inaugurar e benzer?
Manuela Santos

Comentar

Anónimo