PSD ainda sem candidato - Ricardo Figueiredo afirma:
“Se me convidam têm que depositar em mim confiança suficiente para que seja eu a fazer a equipa”
16-06-2017 | por António Gomes Costa
Está tudo em aberto quando à escolha do candidato do PSD às eleições autárquicas marcadas para 1 de Outubro de 2017. Esta escolha surge depois da concelhia do partido de S. João da Madeira ter “recusado” a composição e ordenação da equipa proposta por Ricardo Figueiredo. Fátima Roldão, Castro Almeida e Pedro Ventura são alguns nomes apontados para a nova lista do PSD, que poderá ser encabeçada por Paulo Cavaleiro
Estatísticas

704 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

A notícia apanhou a cidade de surpresa. Ricardo Figueiredo, actual presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira não será o candidato pelo PSD nas próximas eleições autárquicas, uma vez que a concelhia do partido em S. João da Madeira “recusou a composição e ordenação da equipa” proposta pelo autarca.
Perante esta posição, a Comissão Política (CP) do PSD reuniu, na passada quinta-feira, dia 8 de Junho, e em cima da mesa esteve esta decisão do autarca, obrigando a que os sociais-democratas tenham que escolher um nome para cabeça de lista da coligação com o CDS nas eleições autárquicas marcadas para 1 de Outubro de 2017.
Uma semana depois de dar a conhecer que não seria candidato à Câmara Municipal, o chefe do executivo entende que a concelhia do PSD não lhe devia ter feito o convite para ser candidato, uma vez que “não tinham confiança suficiente em mim para que fosse eu a fazer a lista”. Ricardo Figueiredo assume que, se é convidado pelo presidente e pela concelhia do PSD para ser candidato à Câmara, “e se eu proponho a continuação da mesma lista” a qual “não é aceite porque o presidente da concelhia quer impor o Paulo Cavaleiro para número dois, obviamente que não posso aceitar essa imposição”. E explica: “se me convidam para candidato, têm que depositar em mim confiança suficiente para que seja eu a fazer a equipa”. E se essa confiança não é depositada “não me deveriam ter convidado para ser candidato”, pois “o candidato é que escolhe a equipa”.
Depois de ver recusada a equipa que queria ver reconduzida nas eleições de Outubro, Ricardo Figueiredo assume que apresentou uma outra alternativa, onde incluía para número dois o engenheiro Álvaro Gouveia, administrador da CEI – Companhia de Equipamentos Industriais e presidente do Clube de Empresários de S. João da Madeira, e como essa segunda alternativa “também não foi acolhida”, garante que não tinha condições para aceitar ser candidato.
‘O Regional’ questionou também o líder da comissão política concelhia do PSD de S. João da Madeira sobre o porquê de não ter sido possível um entendimento com o actual presidente da Câmara para as eleições autárquicas. Em resposta, os sociais-democratas lembram que “nas eleições para a Câmara Municipal de S. João da Madeira tem havido coerência na escolha dos sucessivos presidentes da concelhia do PSD para número 2 da lista e vice-presidente da Câmara”. “Foi assim em 2001, com o presidente do PSD, Rui Costa, a ser o número 2 da lista e vice-presidente de Castro Almeida. Foi assim em 2005, novamente com o presidente do PSD, Rui Costa, a ser número 2 da lista e vice-presidente de Castro Almeida. Foi assim em 2013, com o presidente do PSD, Miguel Oliveira, a ser número 2 e vice-presidente de Ricardo Figueiredo”, recordam. A “excepção é 2009”, reconhece o partido, explicando que, à altura “o Presidente do PSD de S. João da Madeira era Paulo Cavaleiro, que não poderia ser vice-presidente da Câmara devido à sua eleição para deputado à Assembleia da República”, pelo que “nesse ano Ricardo Figueiredo foi o número 2 da lista e Rui Costa foi o vice-presidente de Castro Almeida”.
“A pretensão do PSD este ano não era nem mais nem menos do que manter as regras que tradicionalmente o PSD tem vindo a aplicar”, afiança a concelhia.
Quanto ao que se segue, o PSD de S. João da Madeira garante que “está a trabalhar num projecto vencedor, que os sanjoanenses reconheçam e que permita dar um novo impulso ao desenvolvimento da cidade e à qualidade de vida dos sanjoanenses, como tem sido a nossa marca”.
Fonte ligada ao PSD garantiu à nossa reportagem, que neste momento os Sociais Democratas em S. João da Madeira já estão a contactar nomes como Fátima Roldão, Castro Almeida, Susana Lamas, também o deputado João Almeida (CDS) e o empresário Pedro Ventura para ocuparem lugares na lista e que Paulo Cavaleiro poderá ser o candidato da coligação PSD/CDS.


 

Comentários
Anónimo | 19-06-2017 13:07 Ora agora danço eu ora agora danças tu
A mama de Castro Almeida como já acabou a mesma tem de continuar em algum lado agora as comadres zangaram-se pelos vistos parace que sim.

Comentar

Anónimo