Sobre a forma lamentável como a ACAIS tenta sacudir a água do capote
16-06-2017 | por Bloco de Esquerda - Moisés Ferreira
Estatísticas

217 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

A ACAIS decidiu, na semana passada, reagir a uma notícia do jornal ‘O Regional’ que denunciava a existência de um casal sem abrigo em S. João da Madeira.
Sejamos claros: quando alguém chega a esta situação extrema, tornando-se sem abrigo, é porque as respostas sociais falharam. E isso quer dizer que quem tinha a responsabilidade de dar essas respostas falhou também.
Falharam os serviços de ação social da Câmara Municipal e falhou a ACAIS, instituição que tinha a responsabilidade de acompanhar estes utentes. Em vez de tentar negar as suas responsabilidades e em vez de tentar sacudir a água do capote, a ACAIS devia era ter arranjado respostas eficazes para evitar que duas pessoas fragilizadas social e economicamente acabassem a viver na rua.
A ACAIS foi rápida e ligeira a reagir à notícia d’O Regional e à posição do Bloco de Esquerda. É pena que não tenha sido tão lesta a reagir a um caso de emergência social, que isso é que era a sua obrigação!
A ACAIS diz que o Bloco apenas se preocupa com este caso por ser ano de eleições autárquicas. É uma posição vergonhosa de quem está cheio de culpa nesta situação e quer desviar atenções. Perante casos de pobreza o Bloco nunca ficou nem nunca ficará indiferente. Lutamos todos os dias e propusemos por várias vezes medidas municipais para tornar mais eficaz e efetivo o combate à pobreza.
O Bloco de Esquerda não aceita nem admite que a ACAIS venha tentar atirar areia para os olhos da população. A verdade é que a ACAIS nunca esclareceu que medidas tomou para apoiar este casal e para evitar que ficassem a dormir na rua. A verdade é que a ACAIS não diz se tentou articular respostas com a ação social da Câmara. A verdade é que se não fosse uma reportagem de um jornal local este casal continuaria a viver na rua com o conhecimento de instituições que tinham a obrigação de acompanhar estas pessoas.
O que interessa aqui é saber se a ACAIS, instituição que recebe dinheiro público para prestar respostas sociais, está ou não a desempenhar as funções que lhe compete. E, por isso, o Bloco de Esquerda insiste que o Ministério da Solidariedade e Segurança Social deve investigar a atuação da ACAIS.
Mais uma vez dizemos: é preciso tomar medidas para que nunca mais aconteça uma situação destas em S. João da Madeira. E isso é reforçar as medidas sociais no município e apurar responsabilidades das instituições que deveriam ter atuado neste caso e não atuaram.

Comentários
Anónimo | 19-06-2017 11:05 Força Bloco de Esquerda|||
Força BE!!! Há gente partidário que se sente irritada com o vosso trabalho e sabe-se o porquê!
A extrema da extrema esquerda anda temerosa com o vosso trabalho, porque o PCP aburguesou-se! Outros interesses se levantam..... Quem toca no espaço do PC, leva um comentário desagradável do José Pacheco Ferreira (ou Pereira ?)

Anónimo | 16-06-2017 23:51 E continua a atacar a ACAIS
Insiste o Bloco da Esquerda. Um politico que nunca fez nada pela terra, este moisés, nunca esteve numa instituição, nunca fez nada por S. João da Madeira, um politico negativista, que tem no seu curriculo uma só coisa, dizer mal e usa a comunicação social para se promover. Quem é este rapaz com aspeto de albanês? Ninguém sabe.

Comentar

Anónimo