motores ensaio
Hyundai Ioniq Hybrid
Alternativa eficiente
18-05-2017 | por Paulo Almeida com Fernando Correia
Estatísticas

513 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

Híbrido, eléctrico e híbrido Plug in: três motorizações diferentes com o mesmo objectivo. O Hyundai Ioniq Hybrid é a primeira aposta do quinto maior construtor automóvel mundial para o mundo dos híbridos, solução que é vista cada vez mais como alternativa aos diesel.
Apresenta-se com uma estética consensual, onde se destaca a frente com a imagem da marca e a traseira mais conseguida em termos de design que outros modelos do género. Além disso, é uma demonstração inequívoca da evolução qualitativa e tecnológica que as marcas coreanas têm conseguido nos últimos anos.
Debaixo do capot, o Ioniq tem o motor a gasolina atmosférico de 1.6 litros com injecção directa, a gasolina, que debita 105cv de potência e 147 Nm de binário. A alteração principal deste bloco está na adopção do ciclo Atkinson, que permite uma melhoria de 15% face ao habitual ciclo Otto. Ao bloco de combustão junta-se um motor eléctrico de 32 kW alimentado por uma bateria de 1,56 kWh colocada sob o banco traseiro. Contas feitas, o Ioniq Hybrid tem uma potência combinada de 141cv e um binário de 265 Nm, números que, como veremos adiante, são determinantes para manter os consumos reduzidos. A bateria de polímero de lítio vai sendo carregada com a energia recuperada durante as desacelerações e travagens e permite percorrer até cerca de 5 km em modo eléctrico.
Ao volante, o Ioniq conduz-se como outro qualquer Hyundai e só em condução citadina, em descidas ou desaceleração sentimos que rolamos apenas no modo eléctrico, uma vez que aparece o aviso (EV) no painel de instrumentos. O condutor pode ainda escolher entre dois modos de condução, normal e sport. Ao seleccionar este último, muda também a configuração do painel de instrumentos, onde passamos a ver um conta-rotações enquanto a caixa de velocidades passa para o modo manual. Um dos maiores trunfos do Ioniq é precisamente a caixa de velocidades. Trata-se de uma caixa DCT de dupla embraiagem de seis velocidades (muito mais agradável que as de variação contínua), o que desde logo permite um estilo de condução mais “normal” e silencioso.
Embora a marca anuncie um arranque dos 0 aos 100 km/h em 10,8 segundos e uma velocidade máxima de 185 km/h, o Ioniq é, acima de tudo, um familiar pensado para uma utilização tranquila e uma condução despreocupada. Dinamicamente, destaque para o eixo dianteiro com boa aderência e para a suspensão que consegue controlar bem os movimentos da carroçaria. A isto não será alheio o facto de ter suspensão traseira independente multibraços.
Em matéria de consumos, terminámos o ensaio com uma média de 4,5 l/100 km, um valor nada difícil de alcançar graças aos 265 Nm de binário (permitem rolar sempre com uma rotação baixa) e às soluções encontradas pela marca (peso optimizado, reduzido coeficiente aerodinâmico, grelha dianteira activa, saias laterais baixas e jantes de desenho específico).
Com 4,47 m de comprimento, 1,45 m de altura e 1,82 m de largura e uma distância entre eixos de 2.700 mm, a habitabilidade é outro dos pontos fortes do Ioniq, oferecendo cinco lugares espaçosos e uma bagageira com 550 litros de capacidade, valor que pode subir até aos 1.505 litros se rebatermos os bancos traseiros.
Os materiais e a montagem são bons, tal como o equipamento de série, que é completo (o ecrã central tem 8 polegadas).Nota ainda para o facto de o Ioniq utilizar no habitáculo muitos materiais reciclados, como por exemplo os painéis interiores das portas que são feitos de plástico reciclado combinado com madeira em pó e pedra vulcânica. Embora tenham a mesma aparência de qualidade e a mesma performance no isolamento de ruído, o peso é 20% inferior em relação ao material de revestimento convencional.
Em resumo, a Hyundai entra com o pé direito na oferta de produtos ecológicos, ainda por cima o Ioniq é o primeiro modelo ecológico a oferecer três motorizações distintas, este híbrido, um 100% eléctrico e um híbrido “Plug-In”.
O Ioniq Hybrid está à venda a partir de 33.000 euros. A garantia geral é de 5 anos sem limite de quilómetros e de 8 anos/200 mil km para a bateria. O modelo está disponível para ensaio no concessionário Litocar em Santa Maria da Feira.

Comentar

Anónimo