Evento volta a juntar milhares de pessoas
“Foi uma Via-Sacra mais intimista”
20-04-2017 | por António Gomes Costa
Mais de uma centena de figurantes voltaram a criar o último dia de vida terrena de Jesus Cristo e a passagem pelas 14 estações da Via-Sacra, tal como indica o relato bíblico. 16 anos depois, o caminho da cruz, representado nas estações, foi seguido e percorrido por milhares de pessoas ao redor da Capela Nossa Senhora dos Milagres, no Parque. Um evento que para a organização foi este ano mais intimista.
Estatísticas

694 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar
Mais fotos

É um evento de fé e marca todos os anos o calendário religioso da cidade de S. João da Madeira. A edição deste ano concentrou-se ao redor da Capela Nossa Senhora dos Milagres, no Parque, deixando para trás a tradição de percorrerem as ruas da cidade. “A última vez que se realizou neste local foi há 16 anos”, segundo a organização.
Trata-se de um evento anual que atrai todos os anos milhares de pessoas e que, à semelhança de anos transactos, juntou cerca de uma centena de figurantes, desde crianças, jovens, adultos e seniores, na última sexta-feira, dia 14, que personificaram as várias personalidades e figuras bíblicas envolvidas no processo de julgamento e condenação de Jesus. “Foi uma Via-Sacra mais intimista, que despertou junto da população uma certa curiosidade”, uma vez que tudo se realizou no largo da igreja. “Foi diferente e com muita entrega por parte dos figurantes”, referiu Isménio Fernando, um dos responsáveis pela Irmandade do Santíssimo, que apontou para a presença de três mil pessoas.
A Via-Sacra realizou-se pela primeira vez em S. João da Madeira em 1999. Desde essa altura que o Caminho da Cruz, representado nas 14 estações da Via-Sacra, tem sido percorrido presentificando o percurso livremente assumido por Cristo até à morte no alto da cruz. “É uma celebração que envolve cada vez mais a população sanjoanense”, refere Isménio.
Trata-se de um acto comunitário integrado nas cerimónias da Semana Santa, que se iniciaram na Quinta-Feira Santa, com a celebração da Ceia do Senhor, a memória da instituição da Eucaristia e do Sacerdócio.
Domingos Milheiro, Padre da Freguesia, reforça que a Via-Sacra é “uma oração que tem como objectivo meditar as vivências mais marcantes na Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, memorando os últimos momentos da Sua vida na terra”. Explicou ainda: as 14 estações “ajudam a percorrer um caminho espiritual e a compreender melhor a pessoa de Jesus e o amor que teve por nós, ao ponto de se entregar para morrer na cruz, sofrendo horrivelmente, para que todos nós apreendêssemos o que é verdadeiramente amar”, deu conta o abade, que este ano não participou nas cerimónias por questões de saúde.

Comentários
Anónimo | 22-04-2017 00:28 Via Sacra, isto?
Isto é uma "xaxada". Uma espécie de pagonismo adaptado à narrativas cristã. Falta o empenho da fé. Falta o amor a Cristo e estamos perante muita luxuria.

Comentar

Anónimo