Futebol - Campeonato de Portugal/Prio 2.ª Fase - Série Manutenção/Descida - 10.ª Jornada
Em sábado de aleluia, foi garantida a manutenção, a quatro jornadas do final
20-04-2017 | por Augusto Lopes
Estatísticas

565 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

Sanjoanense, 2 - Cinfães, 0

Jogo: Estádio Conde Dias Garcia, em S. João da Madeira
Árbitro: Sérgio Soares, auxiliado por Ludovico Franco e Jorge Aguiar, do C.A. da A.F. do Porto

Sanjoanense: Ricardo; Pardal (cap.), Júnior, Vinícius e Cauê; Nelson, Danilo e Murilo; Mica, Fabrício e Nandinho
Ainda utilizados: Davi por Nandinho (54’), Zé Lucas por Fabrício (65’) e António por Pardal (73’)
Não utilizados: João Silva e Marcos (a ficha de jogo só tinha 16 elementos)
Treinador: Flávio das Neves

Cinfães: Diego; Óscar, Luís Carvalho (cap.), Ginho e Rui Filipe; Ruizinho, Nuninho e Vítor Hugo; Serra, Pio e Mário
Ainda utilizados: Alex por Vítor Hugo (34’), Silva por Luís Carvalho (61’) e Rooney por Pio (74’)
Não utilizados: Diogo, Fraga, Pedro Rodrigues e José Pedro
Treinador: Arlindo Gomes

Marcadores: Nandinho (25’) e Pardal (37’ de g.p.)
Disciplina: cartões amarelos – Luís Carvalho (26’), Vítor Hugo (26’), Óscar (36’), Júnior (41’), Nandinho (45’+01’) e Pardal (59’). Cartões vermelhos (diretos) – Ginho (26’) e Vítor Hugo (45’, depois de estar no banco)

Numa tarde com temperaturas altas para a época, convidativa por isso mesmo para um passeio até à praia, era desolador o número de espetadores presente no Conde Dias Garcia. Razões eram várias para que tal acontecesse. Começamos por dizer que normal é em jogos ao sábado a pouco afluência de público; depois, num sábado de aleluia, as pessoas andam mais preocupadas com as amêndoas do que com o futebol, mais ainda numa competição em que é só para cumprir aos alvinegros, não sobem e também não descem, enfim, como alguém nos dizia, “é só um jogo para entreter”, daí aproximadamente a centena de espetadores presente. Julgamos que nunca esteve em dúvida a manutenção dos alvinegros no Campeonato de Portugal/Prio, mas para os menos crentes esta jornada com vitória veio dizer que qualquer que sejam os resultados das últimas quatro jornadas, a Sanjoanense, com os seus 30 pontos, tem um pecúlio suficiente para não cair na sexta posição (lugar que terá de fazer um play-off para manutenção) e muito menos para vir a ser sétimo ou oitavo classificado (posições de descida automática).
Se a Sanjoanense procurava afincadamente a vitória, para que de uma vez por todas ficasse decidida a continuação neste campeonato na próxima época, também o Cinfães procurava a vitória pois, com menos dois pontos do que os alvinegros, passariam a ser os líderes; por isso se saber que de maneira alguma seria um jogo “para entreter”, mas, sim, um jogo em que muita coisa poderia ficar decidida, como veio a acontecer.
Os visitantes começaram desde logo a assustar, cruzamento da esquerda do ataque do Cinfães e Pio por muito pouco a não chegar a tempo de fazer a emenda para o golo, estavam decorridos oito minutos de jogo. Mas foi “sol de pouca dura”, pois passados seis minutos é Diego que evita o primeiro golo da Sanjoanense, remate rasteiro de Fabrício e o guardião do Cinfães, em excelente defesa, evita o inaugurar do marcador.
Com a Sanjoanense a dominar os acontecimentos, apesar das muitas alterações posicionais feitas por Flávio das Neves, a equipa da casa chega ao golo por intermédio de Nandinho. Cruzamento da direita efetuado por Pardal, com o numero cinco a aparecer ao segundo poste e a emendar para o golo.
Discutem os homens do Cinfães com o juiz da partida por um fora de jogo (e com razão) de Pardal. Se tudo se tornou mais difícil com o golo sofrido, pior ficou ainda depois com dois cartões amarelos e um vermelho direto aos homens do Cinfães. Com menos uma unidade e em desvantagem no marcador, os visitantes começaram a quebrar, só dava Sanjoanense, efetivamente.
Veio entretanto o segundo golo dos homens de S. João da Madeira, através de uma grande penalidade por empurrão de Óscar nas costas de Nelson, bem ajuizado pelo árbitro e aqui sem reclamações dos homens de Cinfães.
Com uma vantagem já assinalável e com os visitantes a jogarem com menos uma unidade, a etapa complementar trouxe uma Sanjoanense a gerir o tempo e resultado e um Cinfães que pouco ou nada poderia fazer para mudar o rumo aos acontecimentos. Por outro lado, ambas as equipas com os primeiros 45 minutos nas pernas e com uma temperatura bastante elevada para a época, como que assistimos a uma segunda parte monótona em termos de perigosidade para ambas as balizas.
 

Próximo jogo
Domingo, 23.Abril.2017 às 16h00
Sousense - Sanjoanense

Comentar

Anónimo