Hospital de S. João da Madeira
Doente morre à espera de ser atendido
29-12-2011 | por António Gomes Costa
Um homem morreu, segunda-feira, dia 26, enquanto aguardava por uma consulta no Hospital de S. João da Madeira. A unidade de saúde chamou o INEM, mas este não chegou a tempo. Só o resultado da autópsia, realizada anteontem, poderá revelar as causas da morte.
Estatísticas

2625 Visualizações

Outras Acções
Comentar Imprimir Aumentar Diminuir Restaurar

Esta situação irá certamente levantar muitas dúvidas. Um homem de 55 anos, morreu, segunda-feira, cerca das 13 horas, supostamente devido a uma paragem cardiorrespiratóia na sala de espera da antiga urgência do Hospital de S. João da Madeira, há muito transformada em consulta de medicina geral, a funcionar 24 horas por dia.
Ao que se sabe, a vítima, de nacionalidade ucraniana, Stanislav Torchynkyy, a residir em S. João da Madeira, deu entrada pelo seu próprio pé nas antigas instalações da urgência, cerca das 12h30, fez a inscrição para ser visto por um médico de medicina geral e, segundo apurámos, terá dito que “estava doente e com dores no peito”. Pouco tempo depois, e enquanto esperava a chamada para entrar no consultório médico, terá caído na sala de espera das antigas urgências, convertidas agora em Consulta Aberta.
Segundo apurámos, a vítima não terá tido morte imediata, pois ainda foi reanimada pela equipa médica que se encontrava no local. Pouco tempo depois, chegou a VMER do Hospital S. Sebastião, cujo alerta foi dado aos Bombeiros de S. João da Madeira cerca das 13h51, para transportarem o doente para o Hospital S. Sebastião, mas “já nada podia ser feito”, apurámos. Acabaram, então, por transportar o corpo para a casa mortuária de S. João da Madeira, onde permaneceu mais de 24 horas.

Urgência mantém placas

O corpo foi levado no dia 27, cerca das 16h, para o Instituto de Medicina Legal, do Hospital S. Sebastião, para ser autopsiado.
A nossa reportagem tentou ouvir Luís Matias, director do Hospital de S. João da Madeira, bem como Fernando Silva, administrador do Hospital S. Sebastião, mas até ao fecho da nossa edição as respostas ao nosso e-mail não chegaram.
Recorde-se que desde a reestruturação nacional da rede de urgências, em 2008 e após o protocolo assinado entre a Câmara Municipal e o Ministério de Saúde, o Hospital de S. João da Madeira perdeu o serviço de Urgência, ficando apenas com a garantia de uma Urgência Básica.
A urgência não existe, mas a sinalização da mesma continua. Os sanjoanenses, em situações menos graves, recorrem à consulta aberta do Hospital de S. João da Madeira, que continua a receber cerca de 80 utentes por dia.
Recorde-se que o Hospital de S. João da Madeira, inaugurado em Junho de 1966, foi construído por iniciativa da Santa Casa da Misericórdia local, passando, em 1975, a ficar integrado na rede dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

Comentários
Anónimo | 04-01-2012 01:32 urgente
porque é que ate no hospital ,num tem pessoas competentes que quando um doente se dirije as urgencias e diz que ta doente e tem dores no peito ,num fui encaminhado para um medico.aqui na suissa quando alguem se sente mal,como o senhor que vos morreu no vosso hospital,ja estava a ser atendido ate um quarto tinha para ele
.enfim isto esta cada ves pior,mas ninguem é perfeito ate os medicos e responsaveis.bom ano e para a proxima abrem os olhos e escutem bem as palavras de quem diz que tem uma dor senao aparece outra pessoa morta outra vez

Comentar

Anónimo